PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Flamengo ainda vive drama no gol, e Santos pode ser salvação de Dorival

Santos treina com Diego Alves e Hugo Souza - Foto: Marcelo Cortes / Divulgação
Santos treina com Diego Alves e Hugo Souza Imagem: Foto: Marcelo Cortes / Divulgação

Letícia Marques

Do UOL, no Rio de Janeiro

24/06/2022 04h00

Classificação e Jogos

Diego Alves, Hugo Souza e Santos. Três personagens com caminhos diferentes até chegarem ao Flamengo. Um consagrado no futebol mundial, uma cria da base e o outro contratado com status de futuro titular. No entanto, ainda assim, o Rubro-Negro vive dilema na posição, e Dorival Júnior é o nome da vez em busca uma solução.

O técnico assumiu o clube há quatro jogos e trouxe Diego Alves de volta à titularidade. Até então, o camisa 1 tinha atuado em apenas dois jogos com Paulo Sousa, com quem cultivava relação caracterizada por polêmica e com a nítida preferência do português em Hugo Souza.

O jovem da base foi abraçado pela comissão técnica de Sousa e se tornou o 'diamante' a ser lapidado, como era tratado por Paulo Grilo. Hugo foi titular em 26 dos 38 jogos do Fla na temporada, no entanto, as falhas o afastaram do carinho da torcida, que passou a pedir pela troca.

Coincidentemente ou não, a última partida de Hugo como titular foi também a derradeira do português no comando do Fla. O treinador bancou o goleiro mesmo com as duras críticas da torcida. Hugo, no entanto, perdeu espaço com a chegada de Dorival, que escolheu Diego Alves em seu primeiro compromisso.

"As observações que a gente vai fazendo, acompanhamos a maioria dos times... E um dia, talvez, o Hugo vai entender essa situação e o por que de uma saída momentânea. Depois de um momento ele teve dois bons jogos e isso já reativou consideravelmente sua confiança. A percepção de todos nós é que ele é um garoto promissor. Mas tudo vai acontecendo com calma. Às vezes, um processo oscilatório faz com que o profissional volte mais preparado. A intenção nesse momento é nesse sentido", comentou Dorival, após derrota para o Internacional, na sua estreia no cargo.

De lá para cá, Diego Alves foi mantido no gol. Porém, com as atuações do goleiro, a situação se tornou semelhante ao impasse vivido por Sousa e a preferência por Hugo. O camisa 1 está no alvo das críticas da torcida, que se tornaram mais intensas após as duas falhas nesta semana, na derrota para o Atlético-MG, pela Copa do Brasil.

As críticas não são de hoje, e a relação de Diego com a torcida já está estremecida há algum tempo. O goleiro, que tem contrato até o fim do ano, admitiu estar vivendo os últimos meses de clube.

"Posso estar vivendo meus últimos meses aqui com certeza dentro do Flamengo. Com certeza vai ser assim. Dentre os momentos que a gente passou agora, eu só tenho a agradecer o carinho da torcida e o carinho dos jogadores. Estamos aqui para ajudar o Flamengo. Nós jogadores vamos passar, vêm outros, e o Flamengo continua. Não existe essa parte individual, nunca existiu. Estamos aqui para ajudar, colocar o Flamengo onde merece com títulos e dar alegria para a torcida", disse o experiente goleiro.

Desde que chegou ao Fla, Dorival adotou o discurso que foge da titularidade. Em uma das declarações, o treinador reforçou que a medida vale para o gol, e o escolhido será feito com base nas condições.

"Falar em titularidade é desnecessário no momento. Eu vou deixar que as coisas caminhem. Às vezes, repouso, às vezes, mudanças táticas. Eu quero todos preparados e prontos. Falar em titularidade não convém. No gol é a mesma coisa, são três ótimos goleiros, além dos da base. Podemos ter um ou outro jogando. O titular vai ser quem estiver em melhores condições físicas, técnicas", comentou, após a vitória do Cuiabá.

Com Diego e Hugo protagonistas da temporada, por diferentes razões, Santos corre por fora desde que foi contratado pelo Flamengo. O goleiro chegou com status de titular, defensor das 'Copas' por ter se destacado pelo Athletico-PR e pela seleção olímpica para ajudar a transição do jovem. No entanto, a situação se desenhou de outra maneira.

Santos foi titular em quatro oportunidades, sendo três partidas de Libertadores. Porém, a lesão no quadríceps da coxa esquerda o afastou dos gramados por 46 dia, tanto que só voltou a ser relacionado somente nesta semana, contra o Atlético-MG.

Atento às conversas do treinador de que não há um titular, Santos vive a expectativa da primeira chance com Dorival para iniciar a caminhada em busca do status que foi contratado. Com Hugo sendo tratado com mais cautela por essa comissão, o camisa 20 retorna de lesão com um gás a mais.

Essa pode ser a última aposta do Flamengo para sanar o drama do gol nesta temporada. O próximo compromisso é amanhã (25), contra o América-MG, no Maracanã, pela 14ª rodada do Brasileirão, e Dorival pode apostar no que pode ser a salvação da posição.

Flamengo