PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

São Paulo: Nikão ultrapassa previsão de volta e deve perder jogos decisivos

Rogério Ceni orienta Nikão durante a partida entre Flamengo e São Paulo - Miguel SCHINCARIOL/São Paulo FC
Rogério Ceni orienta Nikão durante a partida entre Flamengo e São Paulo Imagem: Miguel SCHINCARIOL/São Paulo FC

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

22/06/2022 04h00

O São Paulo se prepara para uma sequência de decisões sem seu principal reforço da temporada. O meia-atacante Nikão completou um mês longe dos gramados por dores no tornozelo esquerdo e segue sem prazo para retornar ao time de Rogério Ceni, frustrando os planos do clube, que previu inicialmente a recuperação em até quatro semanas. Na atividade de ontem (21), o atleta começou a correr no gramado, mas ainda não foi liberado pela fisioterapia para a preparação física.

O tratamento feito por Nikão tem como objetivo fazer com que ele pare de sentir as constantes dores no tornozelo esquerdo. Durante a recuperação, o meia-atacante precisou retirar um cisto no local, em um procedimento considerado simples. O São Paulo não divulga prazo para a recuperação, mas o UOL Esporte apurou que a expectativa inicial é de que ele ficasse quatro semanas fora. Com o prazo ultrapassado, não há uma nova data exata.

O São Paulo espera que ele consiga estar à disposição antes da segunda partida contra o Palmeiras pela Copa do Brasil, em 14 de julho, no Allianz Parque. Até lá, Nikão deverá ser ausência em outros jogos decisivos, como a ida contra o rival alviverde e os duelos contra a Universidad Católica-CHI, pelas oitavas da Copa Sul-Americana, marcados para 30 de junho e 7 de julho.

Os problemas físicos de Nikão começaram na semana anterior ao clássico contra o Santos, pelo Brasileirão, no início de maio. O meia-atacante sofreu uma pancada no tornozelo durante um treino e desfalcou a equipe por cinco partidas.

A volta contra o Cuiabá criou expectativa para o restante da temporada, com Nikão fazendo gol na vitória por 2 a 1. No jogo seguinte, contra o Jorge Wilstermann, em 19 de maio, uma nova pancada fez com que as dores no local voltassem e o meia-atacante desfalcasse a equipe desde então.

Camisa 10, mas só em 50% dos jogos

Nikão é apresentado oficialmente com a camisa 10 do São Paulo - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Nikão chegou ao São Paulo cheio de expectativas. O meia-atacante estava quase certo com o Internacional no início deste ano, mas não chegou a um acordo no último momento e aceitou a proposta da equipe do Morumbi. A camisa 10 recebida da mão do presidente Julio Casares indicava a importância da contratação. Desde que chegou, contudo, ele sofreu com problemas físicos.

O São Paulo chegou a traçar um plano de treinos para que Nikão conseguisse atingir o ápice físico. O entendimento era de que ele estava sofrendo com a mudança de rotina comparada aos tempos de Athletico-PR. A equipe paranaense usa os primeiros meses do ano como preparação e costuma jogar o Estadual com um time alternativo. Já no Tricolor, a disputa do Paulistão foi com força máxima.

Antes de sofrer o primeiro problema no tornozelo esquerdo, Nikão estava tendo uma sequência. Ele havia entrado em quatro das cinco partidas anteriores. As lesões, contudo, farão com que na quinta-feira (23), o São Paulo faça seu 40º jogo na temporada sem poder contar com seu principal reforço na metade deles.

Nikão esteve em campo em 20 jogos, sendo nove como titular e 11 vindo do banco de reservas. Ele tem um gol marcado e quatro assistências na temporada.

São Paulo