PUBLICIDADE
Topo

Seleção Brasileira

Seleção volta ao Japão com fartura de campeões olímpicos, e Jardine vibra

Guilherme Arana durante treino da seleção brasileira: campeão olímpico será titular da equipe principal amanhã (6) - Lucas Figueiredo/CBF
Guilherme Arana durante treino da seleção brasileira: campeão olímpico será titular da equipe principal amanhã (6) Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Gabriel Carneiro

Do UOL, em São Paulo

05/06/2022 04h00

André Jardine está vivendo dias agitados no México. Técnico do Atlético de San Luis, ele comanda os trabalhos da pré-temporada de seu time, que vem de um ano de bons resultados e agora promete ambições maiores. Apesar da rotina movimentada, o brasileiro de 42 anos promete que vai acordar cedo amanhã (6) para assistir pela TV ao amistoso entre Brasil e Japão.

Duas razões explicam a decisão: a seleção brasileira volta dez meses depois a jogar no Japão, palco da conquista do ouro olímpico do futebol masculino sob seu comando, e boa parte do elenco hoje à disposição de Tite é formado por medalhistas de Tóquio-2020.

Dos 22 jogadores convocados por Jardine em agosto, seis vestem a Amarelinha atualmente: Guilherme Arana, Bruno Guimarães, Matheus Cunha, Richarlison, Daniel Alves e Gabriel Martinelli. Os cinco primeiros da lista jogaram na goleada sobre a Coreia do Sul da última quinta-feira (6), e todos estão aptos para o jogo desta segunda-feira, às 7h20 (de Brasília), contra os donos da casa. O palco será o Estádio Nacional do Japão, que também recebeu a abertura e o encerramento das Olimpíadas.

Jardine - Reprodução - Reprodução
André Jardine comanda treino do Atlético de San Luis, clube que assumiu há quatro meses
Imagem: Reprodução

"Foi muito legal a experiência de ser campeão no Japão. O povo japonês respeita o futebol brasileiro, gosta do brasileiro, então acho que a seleção vai se sentir em casa mesmo jogando como visitante. Não será um jogo fácil, porque o Japão vem melhorando ano após ano e é competitivo. Mas o Brasil está muito forte, cada vez mais organizado, consciente do seu caminho para a Copa do Mundo, consistente como equipe, com mais jogadores, possibilidades e identidade", diz André Jardine, ao UOL Esporte.

A integração entre as seleções de base e principal é uma realidade hoje em dia, tanto é que 14 dos 22 campeões no Japão já foram convocados por Tite em algum momento do ciclo para a Copa do Mundo do Qatar. À distância, o treinador do bicampeonato olímpico se orgulha pelo alto número de atletas aproveitados.

É outra conquista que estamos tendo, além do ouro. É ver nosso trabalho valorizado pelo Tite e comissão, é o que sonhávamos lá atrás: preparar uma seleção para conquistar o ouro olímpico e melhorar o nível da seleção principal entregando um bom número de jogadores aptos a atuar na Copa. Parece mentira, mas lembro de quando fazíamos reuniões e projetávamos tudo o que está acontecendo agora."

Jardine explica que a própria formação do grupo olímpico partiu da ideia de buscar jogadores para além do talento: "Buscamos jogadores com projeto de carreira, ambição, maturidade, capacidade de liderança, o jogador completo. Jogador de seleção é esse perfil. Acreditamos cegamente que só o talento faz diferença, mas para mim ele vem depois do caráter, da personalidade, do espirito de equipe, da dedicação. Isso faz mais a diferença num torneio curto, de jogos com pressão enorme. Tite também pensa assim."

O técnico campeão olímpico pediu demissão da CBF em fevereiro para assumir o Atlético de San Luis, da elite do futebol mexicano. Na primeira temporada, assumiu o time na última posição da tabela e conseguiu chegar à fase final com a melhor campanha da história do clube fundado em 2013 e que é centro de formação e desenvolvimento de jogadores do Atlético de Madri.

"Está sendo uma grande experiência dirigir um clube fora do país, outra língua, outra cultura. É o que vim buscar, um crescimento pessoal e uma experiência bastante distinta que vai me enriquecer muito e me transformar num profissional melhor. Estamos em pré-temporada para o Apertura, que vai de julho até novembro", resume o treinador que vai acordar cedo para ver os pupilos em campo amanhã.

Bruno - Lucas Figueiredo/CBF - Lucas Figueiredo/CBF
Bruno Guimarães e Matheus Cunha disputam bola durante treino da seleção no Japão e são opções para amistoso
Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Seleção Brasileira