PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Mauro Cezar: Paulo Sousa é atacado em qualquer circunstância no Flamengo

Do UOL, em São Paulo

27/05/2022 15h40

Com o Flamengo às vésperas de mais um Fla-Flu, o técnico Paulo Sousa mais uma vez vem de um jogo no qual ouviu vaias ao ter seu nome anunciado, foi xingado durante e depois da vitória por 2 a 1 sobre o Sporting Cristal, do Peru, pela Libertadores, na última terça-feira (24). A reação dos torcedores tem se repetido independentemente do resultado, algo que chama a atenção de Mauro Cezar Pereira.

No podcast Posse de Bola #231, o jornalista afirma que nunca fiou algo parecido, de um treinador ser sempre o alvo, independentemente dos resultados do time, assim como as vaias ao goleiro Hugo durante a partida, o que já havia ocorrido em outras ocasiões em jogos do Rubro-negro.

"O caso do Paulo Sousa é único, qualquer coisa que ele faça, ele vai ser atacado. Por exemplo, o Atlético-MG perdeu o jogo, eu até entendo que ao apito final alguns torcedores tenham vaiado. O cara comprou ingresso e viu o Atlético-MG perder para o Tolima, o time perdeu. Durante o jogo, a torcida do Atlético-MG apoiou o Galo. Depois que apitou o fim do jogo, vaias, é natural, o cara ficou indignado", diz Mauro Cezar.

"Agora, durante o jogo a torcida do Flamengo vaia o Hugo, no anúncio da escalação, o cara é vaiado no placar, aparece o nome dele no painel eletrônico, no telão, e o cara já está tomando vaia. O cara nem sabe o que vai acontecer no jogo, se a escalação vai dar certo", completa.

O jornalista também cita comentários de que Gabigol estaria sendo sacrificado ao jogar mais recuado, como um meia, quando na verdade o desempenho do jogador tem sido elogiado e tem apresentado alternativas para o time do Flamengo.

"Eu li uma pérola, com todos respeito a quem escreveu, na linha de que o Gabigol estaria se sacrificando por conta do Paulo Sousa. Espera aí, ele está jogando de meia sendo elogiadíssimo. Ele tem jogado muito bem, pode ser uma descoberta para ele, o cara pode jogar em diferentes funções. Pode solucionar a questão para o time, pode ser bom para ele até, embora as chances hoje sejam remotas, me parece, até de seleção brasileira", diz Mauro Cezar.

"Ele está indo muito bem e participando do jogo, interessado, pedindo a bola, buscando jogo, fazendo viradas de jogo, inversões, passes interessantes. É legal isso e isso é uma descoberta, não significa que ele vá deixar de ser o Gabigol, circunstancialmente ele está jogando em outra posição, uma sacada do treinador, viabilizando o Pedro, o Pedro fazendo gols agora em sequência, gols até importantes, gols de vitória nos dois últimos jogos", completa.

Mauro afirma que o Flamengo tem que apresentar mais futebol do que tem feito, mas considera fora do comum a forma como se age com o treinador português.

"Não adianta, ele vai ser sempre vaiado porque é uma coisa insana, o negócio é vaiar o cara, não interessa vencer, interessa vaiar e tirar o técnico, essa é a linha dessas pessoas. O Flamengo fez a melhor campanha dele em Libertadores, fase de grupos. Compreendo, entendo que falta, tem que ter mais futebol, algumas críticas são pertinentes, mas da maneira que a coisa é feita, é completamente maluco", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol