PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Neymar não atendeu fãs coreanos na chegada a Seul, conta Lavieri

Em São Paulo

26/05/2022 12h58

A seleção brasileira volta a jogar nos dias 2 e 6 de junho em amistosos contra a Coreia do Sul e o Japão, na reta final de preparação para a Copa do Mundo do Qatar e parte dos jogadores já chegou hoje a Seul para adaptação ao local da primeira partida. Mas Neymar decepcionou os fãs sul-coreanos que esperavam por um autógrafo ou uma foto com o ídolo.

No UOL News Esporte, Danilo Lavieri conta que havia cerca de 50 pessoas no hotel onde a seleção brasileira se hospeda na capital coreana e os gritos pelo nome de Neymar tiveram como resposta apenas um aceno com a mão, sem autógrafos e nem fotos.

"Tinha mais ou menos umas 50 pessoas no hotel da seleção, eu até fiquei surpreso porque achei que seria bem mais discreto do que realmente foi, mas teve bastante gente e dos dez coreanos que eu conversei, os dez queriam foto ou autógrafo do Neymar, não tinha jeito. Tinha gente com álbum de fotos do Neymar, com camisa", conta Lavieri.

O colunista do UOL cita que outros jogadores, como Philippe Coutinho, foram mais amistosos com os torcedores e atenderam aos pedidos para fotos, o que causou frustração em quem esperava o mesmo comportamento do camisa 10 da seleção brasileira.

"A seleção foi chegando aos pouquinhos, e aí chegaram o Danilo e o Weverton, eu pensei, 'bom, eles ninguém aqui vai conhecer', mas tinha um ou outro que conhecia os dois, pediram foto, autografo. Aí chegou o Coutinho, famoso aqui na Coreia, em todo lugar porque jogou no Barcelona e no Bayern. Tirou foto, deu autógrafo. Então a galera foi ficando ansiosa e aí quando chegou o Neymar ele passou e fez no máximo um joinha", conta Lavieri.

"Eu até entendo, está cansado de viagem e tal, mas 50 pessoas aqui, todo mundo na maior educação asiática que a gente conhece, só com o 'Neymar, Neymar', pedindo uma fotinho, um autógrafo, acho que não custava nada dar uma paradinha, dois minutinhos, depois ele tem a noite inteira para dormir e para se acostumar ao fuso", conclui.

Futebol