PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Julio Gomes: Flamengo está um PSG das Américas, virou refém do elenco caro

Do UOL, em São Paulo

25/05/2022 13h48

O Flamengo não consegue manter o treinador durante pelo menos um ano desde a saída de Jorge Jesus, com passagens de Domènec Torrent, Rogério Ceni e Renato Gaúcho antes do atual técnico Paulo Sousa, que mesmo vencendo ouve vaias da torcida no Maracanã. Isso com um elenco que manteve a base do time multicampeão entre 2019 e 2020.

No UOL News Esporte, Julio Gomes afirma que está na hora de o Flamengo rever se todo o seu problema é o treinador ou se está no elenco, apontando uma situação na qual o clube se coloca de forma semelhante ao Paris Saint-Germain, em que o clube vira refém do elenco estrelado e não consegue se acertar com nenhum treinador.

"O Flamengo tem muito o que pensar, muito o que analisar internamente, porque não é o primeiro e nem o segundo, é o quarto técnico já desde o Jorge Jesus. Domènec, Rogério, Renato e agora o Paulo Sousa. A culpa é sempre dos técnicos? A culpa é sempre deles? Eles erram, acertam, o Abel errou e acertou no Palmeiras, o Jorge Jesus errou e acertou", diz Julio Gomes.

"O Flamengo eu acho que está parecendo o PSG das Américas. Montou um elenco meio caro, o clube virou refém do elenco, ninguém faz nada em relação a isso e não tem mercado, porque ninguém vai pagar pelo Gabigol, pelo Bruno Henrique ou pelo Arrascaeta o que o Flamengo pagou. Só se aparecer alguém lá na Europa para pagar, mas com esses caras que já têm uma idade mais avançada, na Europa ninguém faz esse movimento em relação aos jogadores aqui do Brasil", completa.

O colunista acredita que a direção do clube rubro-negro precisa rever quais são seus problemas em vez de mais uma vez decidir pela saída de mais um treinador.

"Eu acho que o Flamengo está em uma roubada ali, precisa dar um jeito de domar esse elenco ou trocar algumas das peças, porque ficar trocando técnico toda hora não me parece ser a grande solução", conclui.

Futebol