PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Corinthians: antes de reforços, Adson chegou para base e hoje vale fortuna

Adson comemora gol do Corinthians contra o São Paulo, pelo Brasileirão  - Marcello Zambrana/AGIF
Adson comemora gol do Corinthians contra o São Paulo, pelo Brasileirão Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Yago Rudá

Do UOL, em São Paulo

24/05/2022 04h00

Classificação e Jogos

Autor do gol que manteve o tabu do Corinthians de jamais ter sido derrotado pelo São Paulo na Neo Química Arena, o meia-atacante Adson é uma realidade no elenco profissional do Alvinegro e, desde janeiro deste ano, possui em seu contrato multa rescisória de 50 milhões de euros (R$ 255,8 milhões na cotação atual) para equipes estrangeiras. O jovem de 21 anos, no entanto, chegou ao Timão no estágio final de sua formação nas categorias de base em busca de afirmação na carreira.

Ainda durante a infância, Adson passou a chamar a atenção de olheiros pelo bom futebol. Aos 12 anos, o garoto passou três semanas na Espanha em uma peneira no Real Madrid, foi aprovado, mas não pôde permanecer na Europa por conta das restrições financeiras de sua família. Apesar do baque após a notícia do retorno, seguiu trabalhando em Goiás, seu Estado natal, em busca de nova oportunidade em algum clube de destaque.

Em 2017, ainda visto como uma aposta, o meia-atacante assinou contrato para defender o Timão na base e soube aproveitar os anos de formação para conseguir uma vaga entre os profissionais em 2021, à época sob o comando de Vagner Mancini. Nas divisões inferiores conquistou o vice-campeonato da Copa do Brasil sub-17 e disputou duas edições da Copa São Paulo de Futebol Júnior pelo Alvinegro.

O atleta chegou ao Corinthians em um momento no qual o clube passou a apostar em jogadores de grande potencial, porém com idades para atuar nas categorias sub-17 e sub-20. A situação vivida por Adson de menos tempo de formação no Parque São Jorge foi a realidade de outros nomes hoje conhecidos dos torcedores, como o zagueiro Raul Gustavo e o atacante Janderson, atualmente emprestado ao Grêmio.

A necessidade de se provar em menos tempo e garantir a tão sonhada vaga entre os profissionais não foi problema ao meia-atacante, que alcançou espaço no CT Joaquim Grava muito antes das chegadas dos reforços Giuliano, Renato Augusto, Róger Guedes, Willian, Paulinho, Maycon e Jr. Moraes. No ano passado, com Sylvinho, foi um nome importante na equipe que colocou o Timão na fase de grupos da Copa Libertadores deste ano. Atualmente, mesmo disputando vaga com boa parte deles, o jovem segue demonstrando seu valor e ganhando minutos em campo com Vítor Pereira.

No início deste ano, a diretoria do Corinthians renovou o seu contrato até o fim de dezembro de 2024 com uma cláusula de rescisão para o exterior em 50 milhões de euros. O Timão é detentor de 70% dos direitos do atleta, que já soma 40 jogos na equipe principal e cinco gols — o mais importante deles, até o momento, no último domingo.

Corinthians