PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Juca Kfouri: Punição a cantos homofóbicos deveria ser portões fechados

Do UOL, em São Paulo

23/05/2022 16h13

O clássico entre Corinthians e São Paulo ontem (22) foi marcado por mais um episódio de homofobia. Poucos dias depois de ser alvo de racismo na Argentina, torcedores corintianos entoaram cantos homofóbicos contra o time são-paulino, situação que foi relatada na súmula do árbitro Wilton Pereira Sampaio.

No podcast Posse de Bola #230, Juca Kfouri elogia as declarações de Duilio Monteiro Alves, presidente do Corinthians, que repudiou os atos homofóbicos no estádio. O jornalista também ressalta que em casos como o ocorrido no Majestoso, deveria haver a punição de fazer com que o time tenha de jogar com portões fechados.

"Quanto aos gritos homofóbicos eu quero até fazer justiça aqui às declarações do presidente do Corinthians pós-jogo, repudiando os gritos homofóbicos. Eu vou voltar a bater na tecla que significa até uma mudança de opinião que eu tinha durante anos. Eu não acho que o clube deva ser punido com perda de pontos ou com multa por causa de comportamento do torcedor deste tipo, desta gente retrógrada, obscurantista", diz Juca.

"Mas diante de manifestações como essa, a penalidade deve ser fechar os portões do estádio quando o clube tiver mando, o que é uma maneira de multar o clube e que é uma maneira de fazer o torcedor sentir na pele. 'Cantei gritos homofóbicos, racistas, vou passar um tempo sem ir poder ver meu time jogar'. Essa talvez seja a melhor solução", completa.

Ainda que não seja uma punição esportiva, Juca destaca que desta forma há um prejuízo financeiro ao clube e também a privação ao torcedor de ver seu time em ação, podendo levar os próprios torcedores a fiscalizar os demais a fim de evitar a punição.

"Acaba punindo o clube porque não terá a renda, mas quem sabe você estimule assim o comportamento que a gente viu mesmo no domingo, no clássico. O idiota acendeu o luminoso na hora em que o Corinthians estava melhor e que as pessoas no entorno mandaram ele apagar, xingando ele. Quem sabe se fechando portão de estádio o torcedor do lado impeça que o cretino cante o hino homofóbico ou tome uma atitude racista? Me parece que essa é a melhor solução", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol