PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Coutinho cobra Fifa e CBF: 'Não aguento mais ver racismo no futebol'

Do UOL, em São Paulo

17/05/2022 12h11

O futebol brasileiro voltou a ter um episódio de denúncia de racismo no último sábado (14), quando o volante Edenilson, do Internacional, acusou Rafael Ramos, lateral do Corinthians, de tê-lo chamado de macaco, o que o atleta português nega, mas está em apuração pelas autoridades.

No UOL News Esporte, Rodrigo Coutinho, colunista do UOL, afirma que é difícil ter uma opinião sobre o caso, mas espera ações concretas da CBF e da Fifa para coibir os casos de racismo, pois tem sido recorrente o surgimento de novos casos e se trata de um crime.

"É muito complicado de opinar e a única coisa que a gente espera em torno desse caso é que a CBF, a Fifa, quem for de direito, tome medidas drásticas para coibir isso, para se o cara pensar em ser racista dentro de campo, ele pensar que a carreira dele acaba naquele momento. E não é uma questão só esportiva, é uma questão social, quem for racista, cometeu injúria racial, seja qual for a tipificação do crime, ele tem que estar preso, não tem que estar no meio da sociedade", diz Coutinho.

O jornalista ressalta a importância do futebol como um meio de ascensão social para pessoas negras e deveria servir de exemplo, ressaltando que é inadmissível que ocorram tantos casos de racismo.

"É um dos crimes que eu vejo como os mais nojentos da história da humanidade e o futebol como agente social importante até para educar as pessoas, para inserir também vários dento da sociedade, através do futebol várias pessoas negras conseguem ascender de uma forma que não teriam oportunidade em outro ramo de atuação", cita Coutinho.

"Tem que ser dado o exemplo, eu não aguento mais abrir o site, abrir jornal, ver jogo e ter acesso a esse tipo de coisa, já passou da hora de acabar, é um tema muito chato, muito triste de a gente ter que debater infelizmente mais uma vez", conclui.

Futebol