PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

SPFC: Como Ceni trabalha zagueiro da base para ser opção em setor escasso

Zagueiro Luizão, durante treino do São Paulo - Divulgação/São Paulo FC
Zagueiro Luizão, durante treino do São Paulo Imagem: Divulgação/São Paulo FC

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

17/05/2022 04h00

Classificação e Jogos

A utilização de um sistema com três zagueiros contra o Juventude, pela Copa do Brasil, levantou uma questão em relação ao São Paulo. Rogério Ceni tem apenas quatro jogadores experientes à disposição no setor (Miranda, Arboleda, Léo e Diego Costa) e a mudança de formação exigiria um reforço no elenco. Como a janela de transferências permanece fechada e o time do Morumbi convive com grave crise financeira, o treinador tenta achar a solução dentro de casa.

A aposta de Ceni é Luizão, de 20 anos, que disputou a Copinha no início do ano e foi integrado de vez ao time profissional. O São Paulo trata como encaminhada a renovação do contrato dele, que acaba em janeiro de 2023, e o treinador tem feito um trabalho de lapidação para que o zagueiro supra as necessidades do elenco.

Quem acompanha o dia a dia do São Paulo enxerga uma grande evolução no estilo de jogo de Luizão nas mãos de Ceni. Ele tem treinado constantemente passes para ser um jogador canhoto que auxilie a equipe na construção desde a defesa. Essa é uma carência no Tricolor desde a época de Fernando Diniz, que improvisou Léo na zaga, algo repetido por Hernán Crespo e pelo próprio Rogério Ceni.

A avaliação é de que Luizão é um jogador menos técnico que Lucas Beraldo, seu companheiro de Copinha, — e sabe disso —, mas passou à frente na disputa por mais espaço por ser considerado mais "pronto". Ele é visto como um atleta muito sério, que sabe o que precisa evoluir e utiliza do seu vigor físico para se destacar na disputa com os atacantes. Seu 1,87 m de estatura dá opção ao São Paulo para deixar o time mais alto, um desejo de Rogério Ceni desde a temporada passada.

Mesmo com o trabalho de lapidação, o São Paulo prega cautela com o futuro de Luizão, que tem apenas um jogo como profissional — entrou nos minutos finais contra o Everton-CHI, pela Sul-Americana. O departamento de futebol quer ver como ele se sai tendo sequência de jogos.

Uma das chances para isso é caso o Everton não vença o Ayacucho-PER, amanhã (18), e classifique o time do Morumbi de maneira antecipada para o mata-mata da Copa Sul-Americana.

O cenário daria tranquilidade para que Ceni poupasse seus principais jogadores e desse minutos para os mais jovens. Luizão é visto como favorito para começar entre os titulares contra o Jorge Wilstermann-BOL, na quinta-feira (19), no Morumbi, caso o Tricolor já esteja classificado.

Azar com Hernán Crespo

A promoção de Luizão ao time profissional era para ter acontecido no ano passado, quando a equipe era comandada por Hernán Crespo. Dois infortúnios, no entanto, atrasaram o planejamento da comissão técnica.

Na primeira vez em que ia subir, Luizão acabou contraindo covid-19 e ficou fora das atividades. Depois, na segunda chance, sofreu um pisão do atacante Pablo logo nos primeiros minutos de treino e precisou tratar uma lesão no local.

Enquanto aguardava sua terceira chance, Luizão era elogiado na base. Quem acompanha o dia a dia de Cotia diz que o zagueiro se destacava pela regularidade e por tomar poucos gols. Sua versatilidade também é apontada como um trunfo: ele já atuou como lateral-esquerdo e volante.

São Paulo