PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Mauro Cezar: Reduzir os problemas do Flamengo ao Paulo Sousa é demais

Do UOL, em São Paulo

16/05/2022 16h11

Classificação e Jogos

O empate com o Ceará no Castelão no último sábado (14) deixou o Flamengo como último time acima da zona de rebaixamento na classificação do Campeonato Brasileiro após seis rodadas, com apenas uma vitória, além de três empates e duas derrotas na competição. As críticas ao trabalho do técnico Paulo Sousa, que já eram frequentes desde a perda do título carioca, só aumentaram.

No podcast Posse de Bola #228, Mauro Cezar Pereira afirma que é um exagero resumir todos os problemas do Flamengo ao treinador, apontando também as falhas individuais e o tempo que leva um processo de reformulação e mudança na forma de jogar, que é o que propõe o técnico português, enquanto muitos torcedores ainda imaginam que tudo mudaria com a volta de Jorge Jesus.

"Reduzir ao Paulo Sousa todo o problemas eu acho um pouco demais. Pela ineficiência dos jogadores, pelos problemas que o Flamengo enfrenta, pela existência de um adversário e pela arrogância da Fla Mimimi que não aceita nada que não seja o Flamengo vencendo por 3, 4 a 0 todo e qualquer adversário", diz Mauro Cezar.

"Os caras acham que aquele patamar de 2019 vai se manter eternamente. Não, para você conseguir algo parecido com aquilo é preciso retomar o trabalho, isso passa por processos, costuma a levar tempo. Como aconteceu em 2019 não é toda hora que acontece, havia um cenário diferente ano futebol brasileiro, hoje temos até técnicos novos que são diferentes daqueles da época, que foram batidos pelo Jorge Jesus (…) Seria mais desafiador, mas as pessoas não pensam nisso, acham que só trocando de técnico tudo se resolve", completa.

O jornalista também comenta o surgimento de nomes que seriam possíveis alvos do Flamengo no caso de saída de Paulo Sousa e reforça que no momento o treinador português é bancado pela diretoria e terá uma sequência de jogos no Rio de Janeiro para recuperar o time.

"Começam a surgir nomes especulados porque até o momento a informação que eu tenho é de que a diretoria está bancando o técnico, não está em contato com outro treinador e vai tentar nesses cinco jogos no Rio uma reação. O Flamengo joga cinco partidas no Rio de Janeiro, primeiro com a Católica amanhã, depois sábado contra o Goiás, na terça o Sporting Cristal também no Maracanã, jogo de volta, depois é o Fluminense como mandante, mas o jogo é no Maracanã, ou seja, não viaja, e na sequência o Fortaleza pelo Brasileiro", diz Mauro.

"Esses vão ser os jogos decisivos para uma mudança ou não, mas tem que haver colaboração dos jogadores também, os jogadores precisam também acertar o pé, não dá para ter tanta falha individual, as falhas são muitas e acho essa altura muito cedo, em 2020 nessa altura do campeonato o Flamengo tinha 8 pontos, estava perto do rebaixamento, agora tem 6, o Vasco estava em terceiro, chegou a flertar com a liderança, o 'Ramonismo'. Resultado, Flamengo campeão e Vasco rebaixado, muita coisa acontece, mas as pessoas não aprendem", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol