PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Como está investigação da polícia no caso de racismo de Rafael Ramos

Edenílson, do Inter, discute com Rafael Ramos, do Corinthians em jogo no Beira-Rio - MAX PEIXOTO/DIA ESPORTIVO/ESTADÃO CONTEÚDO
Edenílson, do Inter, discute com Rafael Ramos, do Corinthians em jogo no Beira-Rio Imagem: MAX PEIXOTO/DIA ESPORTIVO/ESTADÃO CONTEÚDO

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

16/05/2022 12h35

Classificação e Jogos

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul pretende concluir ainda nesta semana o inquérito sobre o caso de racismo durante o jogo Internacional e Corinthians, ocorrido no último sábado (14), . Abaixo, o UOL Esporte mostra como está a investigação que apura a denúncia contra Rafael Ramos, lateral direito corintiano.

Rafael Ramos foi preso em flagrante no estádio Beira-Rio, mas teve fiança paga e responde ao caso em liberdade. O jogador nega ter ofendido Edenilson, mas o camisa 8 do Inter sustenta que ouviu o termo 'macaco' durante discussão no segundo tempo da partida.

Perícia com leitura labial

Hoje (16), a Polícia Civil encaminha ao IGP (Instituto Geral de Perícias) pedido para realização de perícia técnica nas imagens da confusão entre Rafael Ramos e Edenilson. A análise vai gerar laudo técnico sobre fonética e dicção para dar robustez à denúncia.

"O jogador do Corinthians alega que falou outras palavras. Ele alega que foi um mau entendido e não disse isso, apesar do Edenilson reafirmar que ouviu. Para tornar a prova mais robusta, vamos enviar os documentos à perícia para eles confirmarem", disse Ana Luiza Caruso, delegada da 2ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre.

Indícios claros

Na avaliação da polícia, já existem indícios claros de que Rafael Ramos cometeu injúria racial. A posição se baseia no depoimento de Edenilson e relato do árbitro Braulio Machado, que citou o caso em súmula e também detalhou o episódio em depoimento à Polícia Civil ainda no estádio.

"Os indícios já bastam para um indiciamento e o inquérito está quase finalizado", afirmou Caruso. "Com a perícia da leitura labial, vamos finalizar o relatório", completou a delegada.

Prazo para o próximo passo

O prazo legal para conclusão das investigações é de 30 dias, mas a previsão é de que o inquérito policial seja concluído nesta semana. A partir de então, ele será enviado à Justiça. Quem assume o caso é o Ministério Público, que pode ou não levar a denúncia adiante. Caso o MP avance, os envolvidos podem ser chamados para novos depoimentos.

Rafael Ramos


Logo após a partida, o lateral português afirmou estar de consciência tranquila e que houve um 'mal entendido'. "No fim do jogo fui ter uma conversa com ele, tivemos uma conversa tranquila. Expliquei o que tinha acontecido, ele explicou o que tinha entendido. Expliquei a verdade. Ele mostrou receio de passar por mentiroso, e expliquei a ele que ele não é um mentiroso, que apenas entendeu errado. Apertamos a mão, e desejo boa sorte a ele", disse.

Futebol