PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Após saídas, Ceni espera mais de reforços do São Paulo: 'Bons sinais'

Rogério Ceni comanda o São Paulo contra o Cuiabá, pelo Brasileirão - Marcello Zambrana/AGIF
Rogério Ceni comanda o São Paulo contra o Cuiabá, pelo Brasileirão Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Colaboração para o UOL, em Santos (SP)

16/05/2022 04h00

O técnico Rogério Ceni aprovou as atuações dos meias André Anderson e Nikão no segundo tempo da vitória do São Paulo por 2 a 1 sobre o Cuiabá ontem (15), no Morumbi, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.

A dupla de contratações de 2022 entrou na etapa final e foi decisiva para a virada do Tricolor. Emprestado pela Lazio (ITA), André foi o reforço mais recente. Nikão chegou no início do ano e do Athletico e sofreu com lesões.

"Nikão entrou muito bem no jogo. Ficou parado muito tempo por causa de lesão no tornozelo. Volta agora e fez alguns treinamentos separados para entrar em ritmo. Hoje não aguentaria o jogo todo, mas achei que aguentaria boa parte do segundo tempo. Primeiro entrou aberto e depois o Rigoni ocupando a função que ele fazia. Teve a felicidade do gol e deu a assistência para o André. Foi participativo, com viradas de jogo, boa proteção. Foi uma das melhores participações e esperamos contar mais com ele. Deu bons sinais hoje", disse Ceni.

"André Anderson é uma pena não termos a Sul-Americana para ele. Se tivéssemos, estaria em melhor estágio. Tem boa condução, arranque e finalização. Vimos que dominaríamos o jogo no segundo tempo e colocamos ele, recuando o Igor. Há alguns ajustes táticos a fazer, essa função mais próxima dos atacantes exige colaboração defensiva maior. Como Cuiabá esteve boa parte com 10, facilitou o trabalho dele. Lamento não tê-lo na Sul-Americana pois teria desenvolvido bem mais. Esperamos, nesse rodízio, usarmos cada vez mais o André", completou.

Na última semana, o São Paulo negociou dois jogadores: o goleiro Tiago Volpi para o Toluca (MEX) e o atacante Marquinhos para o Arsenal (ING). Ceni comentou sobre essas perdas e voltou a pedir reforços para o segundo semestre.

"Agradeço o Volpi pelo profissionalismo. Nunca vi um cara treinar tanto. Muito todos os dias. Até falava para treinar menos pois, se eu treinasse o que ele treinava, eu não aguentaria chegar nos 42 jogando. É uma escolha, se valoriza o profissional que não aceita no bom sentido ficar numa posição indesejada. Foi atrás do seu futuro e desejo o melhor. Sobre o Marquinhos, começou o zum zum zum e se definiu em um dia. Marquinhos eu tinha ouvido falar por questões contratuais e problemas, coisas erradas no passado. Pode haver saída, sim, no meio do ano. Clube precisa. E espero que haja possibilidade de chegada. Não podemos contratar até 18 de julho, na reabertura da janela [de transferências]. Precisamos ainda de mais opções", avaliou.

Sem Volpi, o goleiro Thiago Couto, de 23 anos, será a reposição de Jandrei. O contrato dele termina em 30 de junho de 2022 e deve ser renovado.

"Temos o Thiago Couto, um goleiro que vejo saber jogar bem com os pés. Calmo e tranquilo, está para renovar o contrato que depende dele e do empresário. Não conversei com goleiro e não fomos atrás de nenhum. Vamos analisar até julho. Até lá, é especulação. A princípio, Couto é o segundo goleiro. Se corresponder, pode ser o segundo em definitivo e não precisaríamos gastar dinheiro", concluiu Ceni.

São Paulo