PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Ceni, sobre proposta do Arsenal por Marquinhos: 'ouvi rumores no CT'

Marquinhos, do São Paulo, em treino no CT da Barra Funda - Erico Leonan / saopaulofc
Marquinhos, do São Paulo, em treino no CT da Barra Funda Imagem: Erico Leonan / saopaulofc

Brunno Carvalho

Do UOL, em Barueri (SP)

12/05/2022 23h25

A proposta feita pelo Arsenal ao São Paulo para a contratação de Marquinhos foi tema da entrevista coletiva de Rogério Ceni depois da vitória sobre o Juventude, hoje (12). O treinador evitou se aprofundar no assunto, mas disse ter escutado rumores sobre a negociação no CT da Barra Funda.

"Sobre o Marquinhos, ouvi dentro do CT alguma coisa, não vou me aprofundar em uma coisa que não sei direito, mas alguma coisa de erro contratual, não sei direito e que teria alguma chance de pegar algum dinheiro. Mas não vou me aprofundar na história", disse.

O erro contratual citado por Rogério Ceni é a divergência entre a Lei Pelé, vigente no Brasil, e a legislação da Fifa, válida para transações internacionais. Marquinhos assinou em 2019, quando tinha 16 anos, um contrato até 2024 com o São Paulo. A entidade máxima do futebol, contudo, reconhece vínculos de apenas três anos para atletas dessa idade.

Dessa maneira, Marquinhos poderia deixar o São Paulo de graça já no meio deste ano para uma equipe de fora do Brasil. Por causa disso, o time do Morumbi se sente pressionado a aceitar a oferta do Arsenal para não perder mais dinheiro na negociação.

Rogério Ceni foi questionado sobre a necessidade de buscar no mercado um jogador de velocidade com a provável saída de Marquinhos. O treinador citou a grave crise financeira do clube para pregar cautela.

"Se sair o Marquinhos, acho que abre uma possibilidade, mas temos que ver as condições financeiras do clube. Uma coisa é o que você deseja, outra é a realidade do momento. O Marquinhos ajuda a gente principalmente quando entra no segundo tempo, ele tem ajudado mais quando entra principalmente no segundo tempo. Ele é uma peça boa naquele três que a gente usa na frente porque ele ajuda, recompõe, vai ao fundo. Você ganha algo diferente do que quando tem Alisson, Sara, Igor Gomes. Mas vamos conversar para ver a realidade do clube", completou.

São Paulo