PUBLICIDADE
Topo

Advogado da federação do Equador rejeita risco da seleção fora da Copa

Byron Castillo, durante jogo da seleção equatoriana - Reprodução/Instagram
Byron Castillo, durante jogo da seleção equatoriana Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

12/05/2022 15h33

Classificação e Jogos

O advogado César Vásconez, da Federação equatoriana de futebol, rejeitou o risco de a seleção ficar fora da Copa do Mundo do Qatar. Nesta quarta-feira, a Fifa anunciou que abriu procedimento para investigar se o Equador escalou irregularmente Byron Castillos nas Eliminatórias da Copa. O advogado alega que por causa da proximidade do Mundial e de possíveis recursos não haverá tempo hábil para decidir o caso.

"O Equador não corre o risco de perder a Copa do Mundo. O [Mundial do Catar] Qatar está próximo, o Comitê Disciplinar da Fifa pode decidir, em primeira instância, em cerca de dois meses. Isso é passível de recurso perante a própria Fifa, o que pode levar mais dois meses. E aí ele recorre ao TAS (Tribunal Arbitral do Esporte), que demora mais oito meses", comentou Vásconez em entrevista ao portal chileno D13.

"Uma sentença executada que confirma que o jogador é equatoriano. Se for determinado que o jogador falsificou documentos, eu entenderia que a Fifa teria que sancionar o jogador, não a federação", concluiu o advogado.

A Fifa investiga a denúncia da Federação Chilena de Futebol de que Byron Castillos, que defendeu o Equador nas Eliminatórias, é, na verdade, é colombiano. O Chile pede que os equatorianos percam pontos nos oitos confrontos em que Castillos foi escalado, o que tiraria o país do Mundial, dando lugar ao Chile.

Não há prazo para que o Comitê Disciplinar da Fifa decida e quem perder ainda poderá recorrer ao Comitê de Apelação da federação internacional e depois, caso queira, ao Tribunal Arbitral do Esporte. A Copa do Mundo do Qatar será realizada entre 21 de novembro e 18 de dezembro de 2022.