PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Palmeiras: Abel enche a bola de Danilo e Veiga e faz pedido à CBF

Abel Ferreira durante Juazeirense x Palmeiras, válido pela Copa do Brasil - Cesar Grecco/Palmeiras
Abel Ferreira durante Juazeirense x Palmeiras, válido pela Copa do Brasil Imagem: Cesar Grecco/Palmeiras

Diego Iwata Lima

Do UOL, em São Paulo

11/05/2022 22h38

A despeito do jogo complicado, o técnico Abel Ferreira estava satisfeito após a classificação do Palmeiras às oitavas de final da Copa do Brasil, conquistada com a vitória por 2 a 1, sobre a Juazeirense, em Londrina, nesta quarta-feira (11). Leve na entrevista coletiva pós-jogo, ele exaltou Danilo e Veiga e fez um pedido à CBF.

Sobre o volante Danilo, convocado para a seleção brasileira pelo técnico Tite, ele comemorou a convocação e explicou como enxerga o momento do jogador.

"A oportunidade dele veio dos treinos diários. O meu critério de escolha não tem a ver com idade, ou ser da base, ou contratado. Tem a ver com esforço diário, esforço no treino. E ele, por mérito dele e do clube. Ele representa todos que trabalham no Palmeiras. Ele representa os treinadores que treinaram ele lá atrás. Ele representa a torcida", disse.

Já sobre Raphael Veiga, que mais uma vez foi preterido pelo técnico Tite, o português foi só elogios. E destacou, entre muitos aspectos, a entrega dele em campo

"Eu não sou técnico da seleção, sou muito novo. Nem quero ser, mas respeito muito o trabalho do treinador e ele que escolhe. Eu já disse ao Veiga 'tudo no tempo de Deus'. Ele só tem que fazer isso. A mim, o que mais impressiona, não é o que ele joga com a bola, não é a marcação, não são os pênaltis convertidos, não são os dribles. Mas, ele é um jogador completo", disse Abel.

"Quando tem que correr atrás, ele faz. Não sou só eu. A única coisa que eu peço, é que quando abrir a janela não vendam ele. O que eu digo é que ele se lembre sempre do que fez ele chegar no nível que ele está e agora o desafio é ele manter esse nível, que continue muitos anos no Palmeiras", disse.

Ainda sobre o tema convocação, ele destacou que o Palmeiras foi parceiro da CBF ao liberar Weverton e Danilo fora da data-fifa, E, por isso, "cobrou um favor" da entidade.

"E para quem acha que eu só penso no 'eu', está aí a prova de que eu e o clube pensamos no melhor. O clube pensou no que é melhor para a seleção brasileira. Portanto, o treinador [Tite] que escolhe e ele escolheu. Mas, eu peço à CBF, se um, dois, ou três jogadores [de clubes brasileiros] forem convocados, que tenha parada no Campeonato. É o único pedido que eu faço", disse.

Técnico expressou gratidão pela equipe e falou de futuro

Abel Ferreira também fez questão de enfatizar o apreço que tem pelo comportamento dos seus jogadores. Exaltou a torcida e criticou comportamentos que considera nocivos.

"Eu enquanto treinador tenho gratidão por esses jogadores, tenho apreço por essa equipe. Por isso decidi ficar. Por eles e pela minha família. Aos que se dizem torcedores e ficam escondidos atrás do telefone, têm dois caminhos, ou fazer bem ao Palmeiras, que se dizem apaixonados, ou fazer mal. E eu acredito que os verdadeiros palmeirenses apoiam esta equipe, que já ganhou e vai continuar ganhando", disse.

"Hoje jogamos em casa. Nós precisamos dos torcedores para apoiar nossa equipe. Quando criticam um jogador, criticam o Palmeiras, quando aplaudem um jogador, aplaudem o Palmeiras. Por isso que eu peço aos nossos torcedores que no balanço do final do ano, se não estiverem satisfeitos, o treinador vai embora", disse.

"Acho que ganhamos esse jogo porque fomos uma equipe competente e como se diz na minha terra "quem facilita, lasca-se". Acho que fomos sérios e poderíamos ter resolvido mais cedo. Mas essa equipe é séria, cria oportunidades. A nossa obrigação era passar e conseguimos esse objetivo", afirmou.

Por fim, ele também comentou o desgaste do grupo, e deixou claro que o futuro do Palmeiras pode ser complicado, diante de um calendário tão apertado.

"Depois de ter perdido o Mundial, ter ganhado a Recopa, ter ganhado o Paulista, não sei como vai ser. Mas, uma coisa é certa, vamos levar nossos jogadores ao limite, vamos testar todos, mas não sei como vai ser", confessou.

Palmeiras