PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Filho de Rincón garante que ex-jogador não dirigia carro e pede justiça

Rincón como treinador durante jogo do São Bento contra o Corinthians em 2007 - Almeida Rocha/Folha Imagem
Rincón como treinador durante jogo do São Bento contra o Corinthians em 2007 Imagem: Almeida Rocha/Folha Imagem

Do UOL, em São Paulo (SP)

14/04/2022 15h01

Sebastián Rincón, filho de Freddy Rincón — que morreu hoje em decorrência dos ferimentos sofridos em um acidente de carro, falou pela primeira vez com a imprensa colombiana após a morte de seu pai. Ele garantiu que o ídolo do Corinthians e da seleção colombiana não dirigia o veículo no momento da batida com o ônibus e pediu justiça às autoridades.

"Espero que ele seja sincero, que meu Deus faça justiça e que o Ministério Público faça o seu trabalho. Meu pai não estava dirigindo e isso me deixa muito calmo diante de falsas acusações", afirmou.

Sebastián também é jogador de futebol, e atua como atacante no Barracas Central, da Argentina. Ele disse que está orgulhoso do que seu pai fez durante toda sua carreira.

"Meu pai sempre esteve esperando essa oportunidade de dar sua opinião. Graças a Deus que ele teve essa oportunidade de poder demonstrar que é uma pessoas que tinha muito a agregar ao futebol. Sou agradecido por isso. Meu pai foi um grande, estou orgulhoso", acrescentou.

Aos 55 anos, Freddy Rincón estava internado desde a manhã da segunda-feira devido a um traumatismo craniano, chegou a ser operado, mas não resistiu à gravidade dos ferimentos.

Ele nasceu em 1966 em Buenaventura, a maior cidade portuária da Colômbia. Foi no time local que ele se destacou aos 19 anos, antes de passar por Tolima, Independiente Santa Fe e América de Cali, chegar à seleção colombiana e ir jogar no exterior. Além dos clubes brasileiros, ele também defendeu Napoli (ITA) e Real Madrid.

Futebol