PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Flu estreia na Sul-Americana e Cris Silva busca novo passo em readaptação

Cris Silva, lateral-esquerdo do Fluminense, durante final do Campeonato Carioca, contra o Flamengo - Mailson Santana  /Fluminense FC
Cris Silva, lateral-esquerdo do Fluminense, durante final do Campeonato Carioca, contra o Flamengo Imagem: Mailson Santana /Fluminense FC

Alexandre Araújo

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

06/04/2022 04h00

Classificação e Jogos

O Fluminense estreia na Copa Sul-Americana, na noite de hoje (6), contra o Oriente Petrolero, da Bolívia. O jogo, às 19h15, será no Maracanã, palco onde o Tricolor conquistou o Campeonato Carioca 2022, titulo que o lateral-esquerdo Cris Silva considerou importante no processo de readaptação ao futebol brasileiro.

O jogador foi um dos reforços que o Tricolor anunciou no início do ano, em movimentação volumosa no mercado da bola. Nome, à época, ainda desconhecido do grande público, chegou às Laranjeiras após mais de quatro temporadas no Sheriff, da Moldávia.

Nascido em Niterói, no Rio de Janeiro, ele teve passagens por clubes de menor investimento antes de partir para o Velho Continente. Neste retorno ao futebol brasileiro, o camisa 15 aponta que a conquista do Estadual é valiosa não apenas para enriquecer o currículo, mas como mais um passo no cenário que atravessa.

"Sem dúvida é um título muito importante para mim. Cheguei recentemente ao clube, estou vivendo um processo de readaptação ao futebol brasileiro. Então, é algo que vai ajudar bastante na questão da confiança, além de dar tranquilidade para que eu siga em busca do meu melhor em todos os aspectos", disse, ao UOL Esporte.

"Cheguei de um futebol como um estilo bem diferente, então sabia que eu precisaria de algum tempo para me readaptar e para me entrosar melhor com meus companheiros. Ainda me vejo no meio desse processo, mas a cada dia melhor. Me senti muito bem nesses jogos finais. Acredito que não só eu, mas toda equipe foi bem segura defensivamente, e vejo isso já como consequência desse maior entrosamento e percepção do que o Abel quer de todos nós em campo", completou.

Cris Silva teve os direitos adquiridos pelo Tricolor em uma operação que girou em 1,4 milhão de euros, cerca de R$ 9 milhões, pagos em parcelas, como revelou o presidente Mário Bittencourt em entrevista no início de janeiro.

Os valores chegaram a ser motivo de contestação por parte da torcida. O jogador, por sua vez, ainda busca uma melhor sequência para se firmar de vez na equipe e no gosto da arquibancada.

"Eu cheguei no Fluminense bem ciente de tudo o que eu enfrentaria. Todo time grande tem pressão. Quando o resultado não vem, a cobrança é certa, então, meu foco é apenas trabalhar e fazer o melhor porque sei que se as coisas forem bem em campo, o restante vai caminhar positivamente".

Jogadores do Fluminense comemoram a conquista do título de campeão após partida com o Flamengo válida pela final do Campeonato Carioca  - ALEXANDRE BRUM/ESTADÃO CONTEÚDO - ALEXANDRE BRUM/ESTADÃO CONTEÚDO
Imagem: ALEXANDRE BRUM/ESTADÃO CONTEÚDO

Embalado para espantar a crise

O Flu tenta aproveitar ainda as energias do título para iniciar de forma positiva a caminhada na Sul-Americana e afastar de vez resquícios da crise que rondou as Laranjeiras recentemente. A eliminação na terceira fase preliminar da Libertadores, em duelo com o Olimpia (PAR) gerou insatisfação na torcida, protestos contra a diretoria e colocou em xeque o trabalho que vinha sendo realizado pela comissão técnica até então.

"O título [do Carioca] vai influenciar na questão da confiança. Vencer o rival, da forma como fizemos, mostra que podemos atingir um nível que nos permite pensar em mais conquistas, mas, para que isso aconteça, temos de manter o foco no trabalho".

O time de Abel Braga está no Grupo H, que também conta com Junior Barranquilla, da Colômbia, e Unión Santa Fe, da Argentina.

Moldávia e a Guerra da Rússia

Antes de embarcar de volta ao Brasil, Cris Silva atuou no Sheriff, clube que tem como cidade-sede Tiraspol, capital da Transnístria, região autônoma que não se reconhece como parte da Moldávia e que se autoproclama uma república independente.

Cristiano, jogador do Sheriff, da Moldávia - Alex Nicodim/DeFodi Images via Getty Images - Alex Nicodim/DeFodi Images via Getty Images
Imagem: Alex Nicodim/DeFodi Images via Getty Images

A Moldávia, recentemente, mostrou temor quanto à possibilidade de se tornar o novo alvo da Rússia, após o país de Vladimir Putin invadir a Ucrânia. E um dos motivos deste medo passava justamente pela Transnístria, região que, segundo informações publicadas pela RFI, havia 1.500 soldados russos e 10 mil paramilitares pró-russos.

Os Estados Unidos chegaram a prometer 'apoio contínuo' à Moldávia em caso de avanço russo.

"Mantenho contato com alguns companheiros. Existe um clima de tensão porque ninguém sabe até onde vai essa guerra, e por questões históricas também. Mas, graças a Deus, aparentemente está tudo tranquilo na região nesse momento. Soube que tem muita gente buscando refúgio no país, então a gente torce para que tudo isso passe logo e que a paz seja estabelecida o mais rapidamente possível", salientou.

FICHA TÉCNICA:

FLUMINENSE x ORIENTE PETROLERO

Competição: Copa Sul-Americana - Primeira rodada do Grupo H
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Dia: 6 de março de 2022, quarta-feira
Horário: 19h15 (horário de Brasília)
Árbitro: José Argote (Venezuela)
Assistentes: Carlos Lopez (Venezuela) e Lubin Torrealba (Venezuela)

FLUMINENSE: Fábio; Luccas Claro, Manoel e David Braz; Calegari, Yago Felipe, Ganso, André e Cris Silva; Arias e Cano. Técnico: Abel Braga

ORIENTE PETROLERO: Wilson Quiñonez; Maximiliano Caire, Sebastian Alvarez, Leandro Zazpe, Ayrton Paz (Carlos Roca); Daniel Rojas, Ricardo Sandoval; Miguel Ríos (Hugo Dorrego), Héctor Sánchez, Juan Ribera; Facundo Suárez. Técnico: Erwin Sánchez

Fluminense