PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Posse de Bola 197: São Paulo e Flu começam mal, Marinho chega ao Flamengo

Do UOL, em São Paulo

28/01/2022 12h07

Os campeonatos estaduais começaram com o São Paulo e o Fluminense decepcionando, derrotados por Guarani e Bangu, respectivamente, enquanto o Flamengo ainda não estreou o time principal e acertou a contratação do atacante Marinho, que estava no Santos. O Corinthians teve a volta de Paulinho, mas não venceu, o Palmeiras engatou duas vitórias na preparação para o Mundial. Já a seleção brasileira ficou no empate com o Equador em jogo marcado pelas confusões da arbitragem.

No podcast Posse de Bola #197, os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira analisam a primeira rodada dos estaduais, os times que foram bem, os que foram mal, o Flamengo fazendo as primeiras ações nesta janela do mercado da bola e a seleção brasileira comandada por Tite com invencibilidade histórica, mas sem proporcionar empolgação.

Ouça também o boletim do Posse com Arnaldo e Tironi; exclusivo na Apple Podcasts

Para Juca Kfouri, o São Paulo decepcionou na estreia pelo Paulistão, ao perder para o Guarani, mas credita também o resultado à falta de sorte pelos dois gols bugrinos em chutes de longa distância, um deles em cobrança de falta. Por outro lado, considera que o Corinthians se saiu bem no empate com a Ferroviária, ainda que o resultado final do jogo não tenha sido de vitória.

"O São Paulo decepcionou, as estreias do São Paulo, exceção feita ao Patrick e de certa forma ao Alisson decepcionaram, o Nikão é um jogador que precisa estar 100% fisicamente para render e evidentemente não está 100%, está até um pouco acima do peso, me deu essa impressão, mas o São Paulo também teve a falta de sorte de levar dois gols que provavelmente o Guarani não fará mais neste ano, principalmente o primeiro gol, já é candidato ao gol mais bonito do campeonato", diz Juca.

"Não acho que o Corinthians tenha decepcionado, o resultado decepcionou, mas o Corinthians mostrou que tem um monte de bons jogadores e quem esteve abaixo realmente foi o Giuliano, de resto o pessoal andou bem, principalmente o Paulinho. Eu que estava com tanta saudade de ver o Paulinho com a camisa do Corinthians, fiquei otimista em relação ao que ele poderá render. Ele entrou no segundo tempo e teve três chances de gol, é aquele meio-campista que mais do que pisa na área, é um fator surpresa que pode dar ao Corinthians muita alegria", completa.

Juca: Palmeiras vai a Abu Dhabi com perspectiva muito boa

O jornalista afirma que quem começa mesmo o ano com boa perspectiva é o Palmeiras, que venceu no domingo (23) o Novorizontino por 2 a 0 e na quarta-feira (26) a Ponte Preta por 3 a 0, com atuações que dão boa perspectiva para a disputa do Mundial de Clubes.

"Quem surpreendeu pela maneira como começa a temporada foi o Palmeiras, que além de ganhar a Copinha com show de bola, diferentemente do que havia feito na semifinal com o São Paulo, atropelou o Santos de maneira exemplar, o time profissional mostrou em duas partidas 5 a 0, fez cinco gols e não tomou nenhum, que pode viajar quem sabe para Abu Dhabi em uma situação se não de favoritismo, pelo menos de muito boa expectativa", diz Juca.

Mauro Cezar: Paulinho jogou acampado na área, como centroavante

Mauro Cezar considera que as críticas pela atuação do São Paulo na estreia do Campeonato Paulista são exageradas, pontuando a quantidade de mudanças no time, que teve contratações e ainda não pôde atuar com a dupla de zaga titular.

"Primeiro jogo, você tem aí três que começaram, um que veio do banco, quatro estreantes, uma zaga diferente, eu acho que é absolutamente natural que o time tenha dificuldades. Uma atuação ruim, o gol o goleiro pode ser azarado, mas acho que culpa ele não teve, foi um chute improvável, uma bola maluca. É um resultado ruim, uma atuação ruim de um time que está sendo remontado", diz Mauro em relação ao São Paulo.

O jornalista também considera que o posicionamento de Paulinho na volta ao Corinthians foi longe do ideal, parecendo mais um centroavante do que um jogador de meio de campo, ressaltando a falta de organização do time comandado por Sylvinho no segundo tempo.

"Eu vi o Paulinho jogar o segundo tempo quase todo de centroavante, para mim o Paulinho era um 9, foi a surpresa do presidente do Corinthians. Queria o Cavani, queria o Suarez, queria o Diego Costa, queria o Arthur Cabral, mas não, o Paulinho é o 9. O Paulinho jogou mais avançado do que o Roger Guedes, que é o 9 agora, não é mais o 123. O Roger saía para buscar o jogo e o Paulinho lá na área esperando cruzamento", diz Mauro.

"Claro que pode mudar completamente isso, mas para mim ele não foi o cara que infiltra, que pisa na área, ele morou na área, botou uma barraquinha, acampou e ali ficou, era o homem mais avançado do ataque do Corinthians. Achei sob esse ponto de vista uma bagunça, o segundo tempo do Corinthians foi uma bagunça, uma tentativa maluca, com um jogador que é bom chegando na área, mas se fica ali plantado como centroavante acaba não conseguindo", completa.

Arnaldo: Como Marinho vai render sem ser o protagonista no Flamengo?

Em relação à chegada de Marinho ao Flamengo, que anunciou oficialmente hoje (28) a contratação, Arnaldo Ribeiro chama a atenção para a forma como o jogador se saiu bem quando ele foi o protagonista do time, o que não deve acontecer no clube da Gávea, o que deixa dúvidas sobre como ele poderá render.

"Eu vejo o Marinho já depois dos 30 anos, analisando a carreira dele desde o início, ele teve poucos grandes momentos e acho que quando ele teve bons momentos, à vontade, foi quando ele se sentiu protagonista, meio dono do time, daquele que fala pelo time, que é o capitão, que dá entrevista e vai para rede social. No Grêmio ele era mais um e estava todo murcho, no Santos ele se tornou um protagonista", diz Arnaldo.

"No Flamengo ele não vai ser protagonista, ele pode ser importante e decisivo, a minha dúvida em relação a ele é se ele vai conseguir se sentir confortável no Flamengo como mais um e ele vai ser mais um, se ele vai conseguir render o que ele pode sendo mais um. Até agora na carreira ele rende mais quando era meio dono da bola, do vestiário e no Flamengo isso não vai acontecer", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas e sextas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter).

A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts. Você pode ouvir, por exemplo, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Amazon Music e Youtube --neste último, também em vídeo. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol