PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Mauro: Pedro tem potencial de titular no Flamengo, mas ainda não se impôs

Do UOL, em São Paulo

25/01/2022 12h34

O centroavante Pedro inicia a terceira temporada vestindo a camisa do Flamengo e ainda na expectativa de enfim conseguir ser titular do clube, agora comandado pelo técnico português Paulo Sousa, com quem tem moral desde os tempos em que o treinador comandava o Bordeaux e pediu a sua contratação. O problema é como encaixá-lo em um time que tem uma linha ofensiva formada por Arrascaeta, Everton Ribeiro, Bruno Henrique e Gabigol.

No UOL News Esporte, Mauro Cezar Pereira afirma que Pedro tem potencial para ser titular, mas ainda não conseguiu se impor e teve muitos altos e baixos na última temporada quando foi a campo pelo Flamengo, passando também pela dependência de mostrar que tem condições de assumir uma vaga entre os 11 rubro-negros.

"Eu acho que isso depende do desempenho dele, o desempenho do Pedro na temporada passada, por exemplo, teve altos e baixos, ele teve momentos bons e outros bem ruins. Ele teve períodos de seca, atuações fracas, teve uma fase em que ele parecia meio aborrecidinho porque não foi para a Olimpíada, o Flamengo não liberou e fez muito bem em não liberar", diz Mauro.

"Ele mesmo não se impôs como tal, até hoje, embora ele tenha potencial para ser titular, obviamente, ele não se impôs, ele não trabalhou de uma maneira convincente, consistente para virar. Teve jogos bons, teve jogos ruins, jogos em que ele se destacou, outros em que ele perdeu gols, então ele teve muitos altos e baixos", completa.

O jornalista acredita que o fato de o jogador ter agora uma pré-temporada, com o trabalho do técnico Paulo Sousa por um período mais longo antes da estreia, é um fator que pode favorecer o centroavante a encontrar eu lugar no time.

"Se confunde um pouco o potencial do atleta com o real desempenho dele e também tem um fato muito concreto aí, encaixá-lo junto com Gabigol, com Bruno Henrique, claro que é possível mas depende de um trabalho do técnico que na verdade acho que desde que ele chegou não houve um tempo como o de agora para um técnico trabalhar dessa maneira", afirma.

"É possível que os três até atuem juntos, mas isso é preciso treinamento, um trabalho um pouco mais insistente e talvez um pouco mais de tempo, e também do esforço dos jogadores e o desempenho do Pedro, o Pedro até hoje no Flamengo, mesmo quando ele entrou em jogos, não conseguiu ser um cara tão decisivo em jogos grandes, como por exemplo o Gabigol já foi em Libertadores e em Brasileiro", conclui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol