PUBLICIDADE
Topo

Sócios rejeitam mudança de estatuto do São Paulo e frustram diretoria

Presidente Julio Casares esperava resultado satisfatório na votação, mas sócios vetaram a mudança no estatuto - Reprodução
Presidente Julio Casares esperava resultado satisfatório na votação, mas sócios vetaram a mudança no estatuto Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

23/01/2022 18h23

Das 8h às 17h deste domingo, os associados do São Paulo votaram e decidiram pela manutenção do atual estatuto do clube. Dos 1329 votantes, 818 optaram por vetar o novo estatuto, 506 votaram pela mudança e cinco preferiram se abster. O resultado é uma derrota amarga para a gestão do presidente Julio Casares, que se empenhou na campanha pelo "sim", mas não conquistou a maioria dos sócios.

Nos últimos dias, o presidente Casares e o diretor de futebol Carlos Belmonte participaram de eventos e jantares com associados para tentarem aprovar a mudança no estatuto. Entre os temas que foram propostos pelos conselheiros estava a volta da reeleição para presidente, além do aumento do mandato dos conselheiros de três para seis anos.

Outro ponto que impactaria a atual gestão seria a liberação para que membros do conselho atuassem em cargos da diretoria, o que possibilitaria um acúmulo de funções. A medida mudaria, por exemplo, a situação de Carlos Belmonte, que é conselheiro eleito, mas que, por conta disso, atualmente exerce a função de diretor de futebol sem remuneração.

Puderam votar os sócios acima de 18 anos adimplentes e com pelo menos dois anos de associação. A votação foi presencial nos ginásios do clube, no Morumbi, e também contou com um sistema de drive-thru para evitar aglomerações.

Minutos após o resultado ser divulgado pelo São Paulo, Casares utilizou suas redes sociais para escrever sobre o assunto, dizendo que a vontade da maioria deve ser respeitada.

"Como sempre em minha vida, saúdo a democracia. A reforma estatutária proposta por um grupo de 82 conselheiros não foi aprovada hoje na Assembleia Geral. Ou seja, deve-se seguir a vontade do sócio, sem que seja feita recontagem de votos ou impetradas ações na Justiça — isso sim seria uma tentativa de golpe. Parabenizo a todos que lutaram por seus ideais nas últimas semanas - com respeito, todas as opiniões são bem-vindas. Seguimos em frente o nosso trabalho, com muito afinco e acreditando no fazer o melhor para o nosso São Paulo Futebol Clube", escreveu.