PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Novo clube de Love tem estilo Moneyball e faz elenco sobreviver na floresta

Aos 37 anos, Vagner Love assinou contrato de seis meses, válido até o final da temporada europeia - Divulgação/Midtjylland FC
Aos 37 anos, Vagner Love assinou contrato de seis meses, válido até o final da temporada europeia Imagem: Divulgação/Midtjylland FC

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

21/01/2022 12h00

Vagner Love segue conhecendo novos países em seus anos de veterano no futebol. Depois de um ano e meio no Cazaquistão, o centroavante foi anunciado ontem (19) pelo Midtjylland, da Dinamarca. O novo clube do brasileiro é conhecido por adotar o estilo "Moneyball" e por treinamentos pouco usuais -como o de sobrevivência.

O Midtjylland é uma espécie de "segundo time" do apostador profissional Matthew Benham, milionário inglês que também é dono do Brentford, da Premier League. Os dois clubes priorizam os números acima de tudo, mais ou menos na mesma linha em que o Oakland Athletic revolucionou o beisebol nos EUA, na história eternizada no filme "Moneyball, o homem que mudou o jogo".

O clube dinamarquês foi fundado em 1999 e era coadjuvante no país quando o apostador se tornou sócio majoritário, em 2012. De lá para cá foram três títulos nacionais e presença frequente em torneios europeus, incluindo uma fase de grupos da Champions League na temporada passada (2020-21).

As coisas só deram certo justamente pelo modelo de negócio: o Midtjylland contrata jogadores bons e baratos, assim tem resultado em campo e no caixa: os cinco jogadores vendidos nesta janela de transferência haviam sido contratados por 1,4 milhão de euros e saíram, somados, por 30 milhões de euros.

Matthew Benham é dono de uma empresa que faz algo parecido, a SmartOdds, especializada em usar estatística para tentar prever resultados esportivos. Nos clubes dele, há analistas para tudo (um de chute, outro de faltas, outro de cruzamentos etc.) que focam em custo-benefício para escolher um reforço. Vagner Love foi o mais recente a passar por esta avaliação.

Treinos inusitados incluem dia de sobrevivência

O futebol de alto nível exige uma rotina óbvia de exercícios físicos, mas o Midtjylland também é criativo para exercícios mentais. É comum que o clube crie situações de pressão que nada têm a ver com o futebol, para os jogadores solucionarem à sua maneira.

A mais famosa aconteceu no ano passado, quando o elenco teve que se virar em uma floresta no meio do inverno dinamarquês, como revelou o meia brasileiro Evander, ex-Vasco, no ano passado.

"A proposta do clube é fazer também coisas totalmente fora do futebol: precisamos ir para uma floresta, com missões. Dormimos no chão, fizemos nossa própria comida, foi como uma prova de sobrevivência mesmo", contou Evander à revista Placar.

Além de Evander, o recém-chegado Vagner Love encontra uma legião de brasileiros no Midtjylland: o zagueiro Juninho (ex-Palmeiras), o lateral esquerdo Paulinho (ex-Bahia), o meia Charles (ex-Ceará) e os atacantes Marrony (ex-Atlético-MG) e Júnior Brumado (ex-Bahia).

Futebol