PUBLICIDADE
Topo

Diretores do São Paulo intensificam campanha por mudança de estatuto

Presidente Julio Casares participou de jantar com sócios pela aprovação do novo estatuto - Reprodução/Instagram
Presidente Julio Casares participou de jantar com sócios pela aprovação do novo estatuto Imagem: Reprodução/Instagram

Brunno Carvalho e Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

20/01/2022 04h00Atualizada em 20/01/2022 12h34

Os diretores do São Paulo entraram de vez na campanha pela aprovação das mudanças no estatuto do clube. Na última semana antes da votação marcada para domingo (23), o presidente Julio Casares e outros membros da gestão têm participado ativamente de eventos com associados.

As campanhas têm sido realizadas dos dois lados pelos corredores do Morumbi. Mas os favoráveis à aprovação ganharam reforços de peso nos últimos dias. No domingo (16), Casares e Antonio Donizeti Gonçalves, o Dedé, diretor geral do clube social, participaram de eventos no clube em favor das mudanças no estatuto. Os dois foram fotografados utilizando camisas com "sim" estampado.

Procurado, o São Paulo afirmou que os diretores estão exercendo seus direitos como sócios, sem ligação com seus cargos institucionais. O clube reiterou ter uma posição neutra a respeito do debate do estatuto.

Julio Casares compareceu ao clube do Morumbi com a ca "Sim" pela aprovação do novo estatuto - Reprodução - Reprodução
Julio Casares compareceu ao clube do Morumbi com a ca "Sim" pela aprovação do novo estatuto
Imagem: Reprodução

Os associados votarão no próximo domingo pela alteração ou não de 14 itens do estatuto são-paulino. Entre os temas está a volta da reeleição para presidente, além do aumento do mandato dos conselheiros de três para seis anos.

Outro ponto que impacta a atual gestão é a liberação para que membros do conselho exerçam cargos em diretorias. O estatuto prevê que o conselheiro se licencie do órgão, mas a mudança permitiria que houvesse um acúmulo de funções.

A medida impacta, por exemplo, o diretor de futebol do São Paulo, Carlos Belmonte. Ele é conselheiro eleito e exerce a função sem remuneração. O cargo de diretor executivo de futebol é ocupado por Rui Costa.

Julio Casares e Carlos Belmonte gravam vídeos pedindo voto pela mudança do estatuto do São Paulo

UOL Esporte

Belmonte e Casares gravaram vídeos pedindo aos sócios que votem pela aprovação das mudanças. Nas imagens obtidas pelo UOL Esporte, o diretor de futebol afirma que o novo estatuto seria um avanço para o clube. "O estatuto do São Paulo é bom, mas pode melhorar. E essa reforma já melhora o estatuto. Portanto, eu voto 'sim'".

Já Julio Casares diz que vota "sim" por um "futebol competitivo" e pela autonomia da área social, "que vem crescendo e trazendo opções de lazer, restaurantes e eventos".

Maratona de jantares e mensagens no WhatsApp pela aprovação

As ações em prol da aprovação das mudanças continuarão nos últimos dias antes da votação. Um dos restaurantes do estádio do Morumbi foi reservado para jantares com associados. A medida foi organizada por conselheiros favoráveis às mudanças e vem acontecendo desde a última terça-feira (18), com encerramento na sexta-feira (21).

Carlos Belmonte esteve em jantar com sócios do São Paulo pela aprovação do estatuto - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Carlos Belmonte esteve em jantar com sócios do São Paulo pela aprovação do estatuto
Imagem: Reprodução/Instagram

Em uma mensagem enviada por engano no grupo de conselheiros do São Paulo no WhatsApp no último sábado e obtida pela reportagem, Mara Casares, ex-mulher de Julio Casares e diretora feminina, cultural e eventos, cobra que alguns conselheiros ainda não haviam indicado oito associados votantes para participarem dos jantares. Ela reitera que os sócios não pagariam para comparecerem ao evento.

Na mensagem, Mara pede que conselheiros, diretores, diretores-adjuntos e assessores que enviem suas indicações, "preferencialmente titulares". Ela ressalta que a campanha ainda não havia conseguido o número necessário de participantes. Na sequência, a diretora apagou a mensagem e afirmou ter errado de grupo.

O evento contou com a participação dos diretores Carlos Belmonte e Antonio Donizeti Gonçalves e do presidente Julio Casares. O mandatário são-paulino chegou a discursar aos sócios, como mostram vídeos postados nas redes sociais.

O São Paulo afirma não ter relação com o evento e diz que ele foi organizado por pessoas envolvidas na campanha pela aprovação. O UOL Esporte tentou contato com Mara Casares, mas não obteve retorno.

A comunicação por mensagens tem sido um dos focos da campanha pela aprovação. Grupos de WhatsApp restritos têm sido utilizados para a divulgação de materiais favoráveis às mudanças. No fim do ano passado, o UOL Esporte teve acesso a mensagens da campanha enviadas em um grupo gerido pela diretoria de beach tennis com inscritos na modalidade. Apenas membros da organização podem falar nele.

Nas mensagens, o conselheiro e diretor das areias, Marcel Bonilha, se coloca à disposição dos inscritos para tirar dúvidas sobre a votação. Na sequência, ele enviou alguns vídeos da entrevista de Julio Casares ao canal do YouTube dos jornalistas Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi, em que o mandatário defende mudanças.

Após a publicação da matéria, Marcel Bonilha entrou em contato com a reportagem. O dirigente confirmou que o grupo é restrito a alguns administradores e disse ter enviado o material para tirar dúvidas que sócios tinham sobre as mudanças propostas no estatuto.

"Desde o ano passado, muitos membros favoráveis às mudanças de estatuto decidiram que não iam se manifestar sobre o assunto até a votação. No dia seguinte à votação, o Julio fez essa primeira entrevista com Arnaldo e Tironi. Eu como membro do grupo decidi enviar pontos da entrevista para o pessoal que estava com dúvidas ter acesso", disse.

"Os grupos não são institucionais do São Paulo. A gente tem o grupo em que só administradores colocam informações da modalidade. Então, eu coloquei a informação [sobre a votação] nesse grupo, assim como ontem coloquei um vídeo meu informativo sobre alguns pontos", prosseguiu.

Em nota posterior enviada à reportagem, Bonilha afirma que os encontros ocorridos são destinados aos sócios e que o aumento dos esforços ocorreram pela proximidade com a votação. "Achamos importante reforçar a comunicação nos pontos onde temos convicção de serem importantes para um São Paulo melhor. Os encontros na área social são apenas entre sócios, sem a participação de funcionários, e todos pagam suas contas (não houve um churrasco)".

Os inscritos no pádel também receberam mensagens nas últimas semanas pela aprovação das mudanças no estatuto. No grupo oficial do departamento da modalidade é pedido que os associados votem "sim" para que eles continuem tendo "apoio e melhorias para o nosso departamento".

A reportagem tentou uma posição do São Paulo sobre o assunto desde o fim do ano passado, mas o clube disse que não tem controle sobre grupos que não são oficiais do departamento de comunicação.

A votação das mudanças no estatuto acontecerá no domingo nos ginásios I, II e III do Morumbi, das 8h (de Brasília) às 17h. Por causa da pandemia da covid-19, os associados também poderão votar no sistema drive-thru, entrando no local e saindo logo na sequência.

Esse é o último passo antes que as mudanças aprovadas passem a valer no estatuto do clube. Na primeira votação, exclusiva aos membros do conselho deliberativo, 14 itens foram aprovados e outros 10 foram rejeitados.

Oposição vê uso da máquina são-paulina

Em contato com a reportagem, Marcelo Marcucci Portugal Gouvêa, conselheiro do São Paulo e um dos líderes da oposição, criticou o que entendeu ser uso da máquina são-paulo em prol da aprovação das mudanças. Ele também criticou a data escolhida para votação. O dia 25 de janeiro normalmente é feriado, mas foi antecipado ainda em 2021 pela prefeitura paulistana por causa da pandemia da covid-19.

"O que mais me assusta na utilização da máquina são as medidas antidemocráticas do processo em si. Difícil acreditar que há real intenção de ouvir a opinião do maior número de sócios quando mais uma vez se escolhe uma data que dificulta a presença de todos: janeiro, domingo, com emenda de feriado para muitos na segunda. Para quem interessa a escolha dessa data? Acredito que a resposta para essa questão é a mesma dos beneficiados com a eventual aprovação das propostas de alteração estatutária. E não é a instituição que será a beneficiada."

Depois da publicação da matéria, o presidente do conselho deliberativo do São Paulo, Olten de Abreu Jr, enviou um posicionamento sobre o tema. Ele afirma ter cumprido o que prevê o estatuto e reiterou que o feriado de 25 de janeiro foi antecipado ainda em 2021.

"O Conselho Deliberativo do São Paulo Futebol Clube levou em consideração o decreto de Lei Nº 60.131 de 18 de março de 2021 que antecipou o feriado de 25 de janeiro de 2022 para 2021, por causa da pandemia. Apenas cumprimos nossa obrigação estatuária, que como todos devem saber, prevê que a Assembleia deveria ser marcada em sábados e ou domingos, e teria de ser agendada até o dia 30 de janeiro, conforme estabelecido no Estatuto".

O artigo 46 do estatuto do São Paulo exige que as assembleias gerais, como a que acontecerá, sejam realizadas de sábado ou domingo e tenham no mínimo oito horas de duração.

A disputa sobre as mudanças no estatuto do São Paulo chegou a parar na Justiça. Ainda antes da votação do conselho deliberativo, em dezembro, membros da oposição tentaram cancelar a reunião por meio do Tribunal de Justiça. O pedido acabou sendo negado pelo judiciário.

Em 17 de janeiro houve outra decisão desfavorável à oposição. O sócio Alberto Carlos Ferreira entrou com um pedido na Justiça para que a votação do próximo domingo fosse adiada. A petição argumentava que o avanço da pandemia da covid-19 e a proximidade com o dia 25 de janeiro dificultaria uma presença maciça dos associados no pleito. A juiza Luciane Cristina Silva Tavares rejeitou o pedido afirmando que os votos poderão ser dados via drive-thru, com os sócios entrando e saindo de carro, e que a organização da votação promete seguir as medidas sanitárias com orientação do hospital Albert Einstein.

Errata: o texto foi atualizado
Inicialmente foi publicado que havia tido um churrasco no clube do Morumbi no último domingo. Julio Casares e Antonio Donizeti Gonçalves participaram de eventos no local com a camisa do "Sim". O termo foi alterado na matéria.