PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Copinha: Santos faz 2 a 0, sofre empate do Mirassol, mas vence nos pênaltis

Dono da camisa 10, Rwan comemora seu gol pelo Santos com Lucas Barbosa na partida contra o Mirassol pela Copinha - Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC
Dono da camisa 10, Rwan comemora seu gol pelo Santos com Lucas Barbosa na partida contra o Mirassol pela Copinha Imagem: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/01/2022 23h35

Classificação e Jogos

O Santos abriu dois gols de vantagem sobre o Mirassol, que reagiu e buscou o empate por 2 a 2, na noite de hoje (18), na Arena Fonte Luminosa, em Araraquara. Nas penalidades, o goleiro Diógenes, com duas defesas, garantiu o triunfo alvinegro por 3 a 1 e a vaga na semifinal da Copinha.

Rwan, no final do primeiro e no começo do segundo, marcou para o Alvinegro. Depois disso, o Leão pressionou, conseguindo o empate com Gabriel Tota e Pedro Rinaldi. Na semifinal da competição, o Peixe terá pela frente o América-MG, que superou o Botafogo por 1 a 0 mais cedo. O duelo acontece nesta sexta (21), às 20h, em São Caetano do Sul.

Santos começa melhor, mas marca só no final

O Santos começou o confronto tendo mais a posse de bola, ficando no campo ofensivo e criando as principais ações. No entanto, o gramado pesado prejudicou o andamento no jogo. Nos primeiros 22 minutos, dois jogadores do Mirassol e Sandro, do Peixe, foram ao chão reclamando de dores. O lateral direito e capitão do Alvinegro precisou, inclusive, ser substituído.

A primeira jogada de perigo do Leão saiu somente aos 30 minutos. O goleiro Diógenes afastou o cruzamento de Du Fernandes e Tota ficou com o rebote, mas finalizou para fora. Logo em seguida, o time do interior chegou novamente, desta vez com Wellington, que bateu de primeira, parando no arqueiro do Peixe.

No entanto, aos 37, o clube praiano inaugurou o marcador na bola aérea, tentativa muito explorada pelo time da Vila Belmiro. Lucas Pires chegou até a linha de fundo e cruzou na medida para Rwan, que foi mais rápido que a defesa do Mirassol e apareceu sozinho para desviar de cabeça e mandar para a rede.

Os minutos que antecederam o intervalo ainda reservaram emoções para os dois lados. Aos 41, o Leão pressionou e Frank foi derrubado na linha da área, porém o árbitro assinalou apenas a falta, que foi batida para muito longe, e não o pênalti. Patati, aos 47, se librou da marcação e bateu colocado, obrigando Vinícius a espalmar com a ponta dos dedos.

Mirassol se expõe e sofre o segundo

A equipe do Mirassol voltou com tudo dos vestiários e partiu para cima do Alvinegro, que aproveitou os espaços e ampliou o placar. Em bela jogada que iniciou no lançamento de Jair, Ed Carlos ajeitou de costas para Lucas Barbosa, que deixou Rwan na entrada da área. O centroavante se livrou da marcação e bateu cruzado para anotar o segundo.

Rwan ainda balançou a rede pela terceira vez aos 12, entretanto o árbitro anotou falta do camisa 10 em Octávio e invalidou o tento. Depois disso, o clube do interior paulista voltou a pressionar, apostando muito nos cruzamentos pelo alto.

De tanto insistir, o gol saiu aos 29 minutos. Wesley bateu falta pela esquerda e Gabriel Tota conseguiu desviar de cabeça, colocando no canto do gol, sem dar chances de defesa para Diógenes.

O Peixe se fechou para segurar a vantagem, mas o ataque aéreo do Mirassol voltou a ser eficaz e o time conseguiu empatar aos 43. Em batida de Wesley, desta vez um escanteio pela direta, Pedro Rinaldi aproveitou e deixou tudo igual.

Pênaltis

Frank abriu a série marcando para o Mirassol. Lucas Pires, no ângulo, deixou tudo para o Santos na sequência. O goleiro Diógenes apareceu depois disso, pegando as cobranças de Gabriel Tota e Moreira. Rwan fez na segunda batida para o Peixe, mas Jhonnathan marcou por cima da meta o terceiro. Na quarta penalidade, Wesley tentou uma cavadinha no, porém mandou muito alto, errando o alvo. Lucas Barbosa anotou o quarto e garantiu a vaga do clube praiano na semi da Copinha.

Fisioterapeuta é expulso

O gol do Mirassol fez com os ânimos ficassem exaltados, principalmente no banco da equipe do interior paulista. O técnico Mateus Naneti reclamou demais e recebeu o cartão amarelo aos 37. Já o fisioterapeuta Feitosa recebeu o vermelho do juiz.

Árbitro com pressa

Apesar das alterações e da tradicional cera feita pelos jogadores - que inclusive rendeu um cartão amarelo para Diógenes -, o árbitro Paulo Cesar Francisco indicou apenas dois minutos de acréscimo. Contudo, quando o relógio chegou aos 46, ele decidiu encerrar o embate e ir para as penalidades.

Peixe completo

Com a volta do volante Jhonnathan, o técnico Elder Campos não teve nenhum desfalque para escalar o Santos diante do Mirassol. Lucas Barbosa, que teve sua suspensão revertida, integrou o trio de ataque ao lado de Patati e Rwan.

Os jogadores do Alvinegro que estiveram em campo foram: Diógenes; Sandro (Andrey Quintino), Jair, Derick e Lucas Pires, Jhonnathan, João Victor e Ed Carlos (Matheus Nunes); Weslley Patati (Pedrinho), Lucas Barbosa e Rwan Seco.

Do lado do Leão, o treinador Mateus Naneti repetiu a formação da goleada por 5 a 1 sobre o Bahia, mandando ao gramado: Vinícius; Pedro Rinaldi, Guilherme, Octávio e Frank; Du Fernandes, Wellington (Wesley Santos), Gabriel Tota e Moreira; Kauan e Danilo (Wesley).

Futebol