PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Santos oferece preferência de joias e fecha acordo com Barcelona por dívida

Ângelo, Kaiky e Gabriel Pirani na vitória do Santos em cima do Deportivo Lara (VEN) pela Pré-Libertadores, em 9 de março de 2021 - Ivan Storti/Santos FC
Ângelo, Kaiky e Gabriel Pirani na vitória do Santos em cima do Deportivo Lara (VEN) pela Pré-Libertadores, em 9 de março de 2021 Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Lucas Musetti Perazolli

Colaboração para o UOL, em Santos (SP)

17/01/2022 17h57

O Santos anunciou hoje (17) um acordo com o Barcelona (ESP) por uma dívida de cerca de 3 milhões de euros (R$ 19,3 mi, na cotação atual). A negociação durava um ano.

Sem esse recurso financeiro, o Peixe deu ao Barça a prioridade na compra do zagueiro Kaiky e do atacante Ângelo. Essa informação foi antecipada pelo UOL Esporte no dia 6 de janeiro.

"Essa era uma pendência que poderia atrapalhar muito o Santos e que nos preocupava pelo risco de punição junto à FIFA. Mais de um ano de negociação e o acordo foi acertado sem o Santos ter de fazer pagamento algum. Melhor ainda, não teremos de pagar cerca de 20 milhões de reais, que foi a punição imposta em última instância pela FIFA. Agora, podemos seguir adiante, pensando no futuro do Santos ainda mais", disse o presidente Andres Rueda.

Ao assumir o clube em dezembro de 2020, Rueda elencou dez grandes problemas a serem resolvidos. Quitou as dívidas com o Hamburgo (ALE), Atlético Nacional (COL), Brugge (BEL) e Huachipato (CHI), parcelou as pendências financeiras e está pagando o Krasnodar (RUS), as dívidas trabalhistas e as tributárias, o empresário Giuliano Bertolucci e a Doyen.

"Agora, fechamos o ciclo resolvendo o Barcelona. Estamos empenhados em resolver as pendências e restaurar a credibilidade do nosso Santos", completou Rueda.

O débito teve origem na gestão Modesto Roma, em 2016, quando o Peixe não avisou o Barça sobre a venda de Gabigol à Internazionale (ITA). Os catalães conseguiram a preferência do atual atacante do Flamengo em uma das cláusulas da compra do Neymar, em 2013.

O Santos não notificou o Barcelona e foi multado em 3 milhões de euros, como previa o contrato. O Peixe não pagou nas gestões anteriores e o caso foi parar no CAS (Corte Arbitral do Esporte), que deu causa aos espanhóis em dezembro de 2020.

Os representantes das joias não se opuseram, até porque o direito de preferência é apenas uma forma do Barcelona não ser surpreendido com uma venda no futuro para outro gigante da Europa. Kaiky e Ângelo são destaques desde a base, se consolidaram no elenco profissional e são os maiores ativos financeiros do Santos no momento.

Kaiky tem 17 anos e contrato até novembro de 2023 —o Santos, inclusive, já negocia a renovação. Ângelo, também de 17, estendeu o vínculo recentemente até 10 de dezembro de 2024.

Futebol