PUBLICIDADE
Topo

Inglês - 2021/2022

City vence Chelsea com golaço de De Bruyne e dispara na liderança do Inglês

Kevin De Bruyne celebra o gol do Manchester City - Reprodução/Twitter @ManCity
Kevin De Bruyne celebra o gol do Manchester City Imagem: Reprodução/Twitter @ManCity

Colaboração para o UOL, em São Paulo

15/01/2022 11h26

Classificação e Jogos

No duelo entre líder e vice-líder do Campeonato Inglês, melhor para o Manchester City, que, jogando em casa, venceu o Chelsea por 1 a 0. Kevin De Bruyne fez o único gol da partida em uma bela jogada individual concluída com um chute colocado de fora da área.

Com o triunfo, o City dispara na primeira colocação do Campeonato Inglês. Agora com 56 pontos, a equipe de Manchester abre 13 de vantagem sobre o próprio Chelsea, vice-líder da competição.

O Liverpool ainda pode assumir a segunda posição e diminuir a vantagem do City, já que tem 42 pontos e dois jogos a menos.

O Manchester City volta a campo pelo Campeonato Inglês no próximo sábado (22). Às 14h30 (de Brasília), os comandados de Pep Guardiola visitam o Southampton pela 23ª rodada da competição.

O Chelsea, por sua vez, será visitante novamente em seu próximo jogo na competição nacional. A equipe encara o Brighton, a partir das 17h (de Brasília), na próxima terça-feira (18), em confronto adiantado da 24ª rodada.

Jogo morno no primeiro tempo

kante de bruyne - Reprodução/Twitter @ChelseaFC - Reprodução/Twitter @ChelseaFC
Kevin De Bruyne e Kanté disputam a bola em duelo entre Manchester City x Chelsea
Imagem: Reprodução/Twitter @ChelseaFC

Mesmo precisando desesperadamente da vitória para diminuir a diferença para o Manchester City na ponta do Campeonato Inglês, o Chelsea não conseguiu ameaçar os donos da casa no primeiro tempo.

Fato é que a postura defensiva do time de Londres também atrapalhou o Manchester City, que teve dificuldades para finalizar com perigo, apesar de dominar as ações do jogo.

Apenas aos 39 minutos, o Manchester City criou a primeira chance clara de gol do jogo. De Bruyne pressionou Kovacic no campo de ataque e conseguiu interceptar um passe. A bola desviada sobrou com Jack Grealish, sem marcação. O meia inglês bateu no contrapé de Kepa, que fez grande defesa com a perna.

Três minutos depois, a dupla Grealish - De Bruyne voltou a atacar. Desta vez, o meia inglês carregou a bola pela esquerda, invadiu a área e tocou para trás. O companheiro belga bateu de primeira, mas mandou por cima do gol, assustando Kepa. No primeiro tempo, foi só.

kepa grealish - Reprodução/Twitter @ChelseaFC - Reprodução/Twitter @ChelseaFC
Jack Grealish, do Manchester City, para em Kepa, goleiro do Chelsea
Imagem: Reprodução/Twitter @ChelseaFC

Pé no acelerador na segunda etapa

As equipes voltaram com as mesmas formações para o segundo tempo, mas o jogo mudou completamente de ritmo.

O Manchester City continuou subindo a marcação e controlando a bola. Assim, logo no primeiro minuto chegou com perigo. De Bruyne, de novo ele, avançou bem pela esquerda e cruzou rasteiro. Sterling quase completou para o gol, mas caiu na área e pediu pênalti - que o árbitro não marcou.

Na sequência, Kovacic se recuperou do erro do primeiro tempo com uma boa antecipação no meio-campo. O croata arrancou e deu um belo passe para Lukaku, que bateu colocado e viu Ederson fazer uma ótima defesa. No rebote, Ziyech, com a defesa do City recomposta, chutou por cima do gol.

Aos 17 minutos, os donos da casa voltaram a assustar. Kevin De Bruyne bateu falta por cima da barreira, colocado, e viu Kepa fazer boa defesa. Cinco minutos depois, foi a vez de Sterling invadir a área e bater para fora, perdendo mais uma chance para os anfitriões.

Melhor no jogo, o City já merecia o gol quando ele chegou. Aos 25, De Bruyne arrancou pelo meio, escapou da falta de Kanté e, sem opção de passe, cortou para a direita e bateu colocado, tirando do alcance de Kepa.

City fica perto de ampliar

Sem recuar, o Manchester City esteve mais próximo de aumentar o placar do que de levar o empate. Tanto que aos 38 minutos, Sterling fez boa jogada pela direita e tocou para Foden, que isolou.

Aos 41, o City deu mais um susto, com Grealish. Kepa levou a melhor no duelo particular com o meia inglês mais uma vez. O camisa 10 gingou sobre a marcação dentro da área e bateu forte. O goleiro espanhol defendeu bem. Apesar da insistência do City, o placar mínimo foi mantido até o fim.

Quem foi bem: De Bruyne

Mesmo no ritmo morno do primeiro tempo, Kevin De Bruyne chamou o jogo e participou das duas situações de maior perigo para o time da casa.

No segundo tempo, o meia cresceu ainda mais na partida, distribuindo bons passes, assustando em cobranças de falta e se tornando fator de desequilíbrio ao fazer o gol em uma grande jogada individual.

Quem foi mal: Marcos Alonso

Inseguro nas saídas de bola, cometendo faltas bobas e ineficaz nas subidas ao ataque, mostrou um grande desnível em relação ao titular da posição: Ben Chillwell.

Substituições infelizes

Thomas Tuchel demorou cerca 70 minutos (45 do primeiro tempo mais 25 do segundo) para mexer no time. O momento escolhido pelo técnico parece não ter sido o mais feliz

Aos 24 minutos do segundo tempo, o treinador alemão promoveu as entradas de Hudson-Odoi e de Timo Werner, nos lugares de Pulisic e Ziyech. Nem deu tempo de saber se a mudança seria boa. No minuto seguinte, antes de os reservas sequer tocarem na bola, Kevin De Bruyne fez o gol do City.