PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Acusado de sete estupros, jogador do City paga fiança e deixa a prisão

Benjamin Mendy está preso desde agosto sob acusações de oito crimes sexuais - James Gill/Getty Images
Benjamin Mendy está preso desde agosto sob acusações de oito crimes sexuais Imagem: James Gill/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

07/01/2022 12h07

Classificação e Jogos

Acusado de oito crimes sexuais, o jogador francês Benjamin Mendy deixou a prisão após pagar fiança hoje (7), segundo a BBC. Ele estava detido desde agosto na Inglaterra e agora aguarda em liberdade os julgamentos de sete acusações de estupro e uma de assédio sexual, previstos para acontecer entre junho e agosto.

O valor da fiança não foi divulgado, mas agora Mendy pode aguardar em casa até ser julgado. Ele estava há duas semanas na prisão de segurança máxima Her Majesty's Prison de Manchester, para onde havia sido transferido na semana do Natal. Antes ele cumpria prisão preventiva na HMP Altcourse, de Liverpool, mas a Justiça inglesa justificou a mudança alegando que a segurança do réu estava em risco devido à grande repercussão das acusações na mídia.

A transferência se deu apenas um dia após Mendy ser acusado de estupro pela sétima vez. Segundo a imprensa inglesa, o co-réu Louis Saha Matturie também teria sido transferido para Manchester na mesma ocasião, mas ainda não há confirmação se este também foi liberado sob fiança. Matturie é acusado de cometer seis estupros e uma agressão sexual. Ambos haviam tido diversos pedidos de fiança negados pela Justiça.

Os casos em que Mendy é reu foram denunciados por cinco mulheres, uma delas menor de idade, e teriam ocorrido entre outubro de 2020 e agosto de 2021. Uma das alegadas vítimas afirma ter sido abusada sexualmente na mansão do acusado, onde ele agora pode aguardar os julgamentos.

Originalmente Mendy seria julgado neste mês de janeiro, mas a data foi adiada para 27 de junho ou 1º de agosto, no tribunal Chester Crown Court, na Inglaterra.

Aos 27 anos, o réu está suspenso pelo Manchester City desde que as investigações começaram, em agosto. As menções a seu nome foram removidas do site oficial do clube e suas camisas foram tiradas de circulação. Ele jogava pelo clube inglês desde 2017, quando foi comprado junto ao Monaco (FRA) pelo maior valor jamais pago a um defensor até então, 60 milhões de euros. Seu contrato, em tese, vai até junho de 2023.

    Futebol