PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Capitão do Atlético-MG, Réver briga com torcedor do Cruzeiro no aeroporto

Réver brigou no aeroporto no primeiro dia de férias - Pedro Souza/Atlético-MG
Réver brigou no aeroporto no primeiro dia de férias Imagem: Pedro Souza/Atlético-MG

Victor Martins

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte (MG)

17/12/2021 02h36Atualizada em 17/12/2021 15h13

Um dia após o Atlético-MG conquistar a Copa do Brasil, o zagueiro Réver seguiria de Belo Horizonte rumo a Porto Alegre, para curtir as férias ao lado da esposa e dos dois filhos. O embarque para a capital gaúcha estava marcado para 22h, mas o capitão do Atlético-MG perdeu o voo. Tudo por causa de uma brincadeira de um torcedor do Cruzeiro que não terminou bem.

Pouco antes do embarque, no aeroporto internacional de Belo Horizonte, localizando em Confins, o defensor atleticano parou para tirar foto com um garoto. Cruzeirense, o adolescente tentou fazer o número 6 com os dedos [o que foi confirmado por testemunhas], em referência a goleada de 6 a 1 aplicada pelo Cruzeiro sobre o Atlético, na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2011.

A partir daí existem duas versões. Uma do jogador e outra do pai do garoto. Relatos diferentes sobre um mesmo acontecimento.

Versão do jogador

Réver não ficou nada satisfeito quando percebeu que era uma zoeira e xingou o garoto. Foi então que o pai do adolescente não gostou da atitude do zagueiro atleticano e foi tirar satisfação. Os dois brigaram no aeroporto. Depois, Réver foi ouvido pela ouvido pela Polícia Militar, na delegacia local. O defensor remarcou o voo para Porto Alegre para a manhã desta sexta-feira.

Mas antes da viagem, Réver passará por um exame de corpo de delito, orientado por seus advogados e também pelo departamento jurídico do Atlético. Aliás, o clube já se mostrou solidário ao atleta e até se manifestou nas redes sociais.

Depois de falar com a Polícia Militar, Réver foi liberado. O zagueiro não deu entrevistas, mas via assessoria passou a versão dele.

"Uma pessoa pediu para tirar uma foto e o Réver parou para fazer. Mas fizeram uma brincadeira, que ele não gosta e começaram uma discussão. Essa pessoa se alterou e queria brigar. O Réver não queria nada, mas a pessoa parecia alterada. Discutiram e realmente começou uma confusão, até que chegaram os seguranças", explicou Gustavo Faria, assessor do zagueiro.

Versão do pai do garoto

De acordo com a Rádio Itatiaia, a confusão de Réver foi com o motorista Deibeissom Rodrigues, que é de Sete Lagoas. O pai do garoto alega que apenas defendeu sua família, pois o zagueiro do Atlético machucou o dedo do filho e também agrediu a esposa.

"O Réver foi tirar foto com o meu filho e meu filho fez um 'dois' para baixo. Aí ele agrediu meu filho chamando de vagabundo e moleque. Ele enfiou o dedo na cara do meu filho. Fui falar com ele que me respondeu dizendo 'você também é um vagabundo. Vamos lá fora se você está sentindo a dor do seu filho'. Eu falei: 'vamos'. Ele avançou na minha esposa e a jogou no chão. Eu fui para cima dele, nós lutamos. Apareceu um atleticano lá e tirou ele. Ele tentou vazar [sair do local], mas o segurança do aeroporto pegou ele" relatou Deibeissom à Rádio Itatiaia.

Filmagens do aeroporto

Réver está muito tranquilo, apesar de tudo o que aconteceu. O motivo de tamanha tranquilidade são as filmagens do aeroporto internacional de Belo Horizonte. O defensor alega que a briga foi somente com o homem adulto e não teve agressão nenhuma à mulher e ao adolescente envolvidos no caso. O departamento jurídico do clube passou para o jogador que vai atrás das imagens, nem que seja preciso um pedido judicial.

Futebol