PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Vitor Guedes: Rogério Ceni a cada declaração perde elenco e a torcida

Do UOL, em São Paulo

08/12/2021 14h16

O técnico Rogério Ceni voltou ao São Paulo na atual temporada após um período de dificuldades do time sob o comando de Hernán Crespo, mas não conseguiu agradar à torcida, que não cantou seu nome no Morumbi, além de deixar dúvidas sobre sua permanência no clube para 2022, depois de garantir o time fora de qualquer risco de rebaixamento no Brasileirão.

No UOL News Esporte, Vitor Guedes chama a atenção para a forma como Rogério tem lidado com os jogadores e com os próprios torcedores do São Paulo, considerando que o ex-goleiro se complica cada vez mais com o elenco de jogadores e também com a torcida a cada declaração.

"O Rogério Ceni, quando parar a carreira pode fazer uma versão masculina da Sandra Bullock, o Mister Simpatia, porque é uma pessoa simpática, carismática, fácil de gostar. O cara vai para o Flamengo, tentou ganhar a torcida com uma declaração falsa, não ganhou a torcida do Flamengo e perdeu a idolatria do São Paulo. O futebol de hoje, o jogador é mimado, existe a vida como ela é, o jogador é mimado e gosta de ser bem tratado", diz Guedes.

"Em toda declaração dele, ele põe a culpa no jogador, ele escala o time de forma bizarra como fez no Sul e fala que fez tudo certo, mas o Benítez não marcou o Thiago Santos, aí ele fala que a situação é mais difícil do que imaginava para o ano que vem, ele faz questão em cada declaração de perder o grupo porque esses caras não jogaram com ele, esses jogadores novos, então ele perdeu o grupo, perdeu o carinho de parte da torcida pelas declarações que deu no Flamengo", completa.

O jornalista afirma ter ficado com a sensação de que Rogério só pretende permanecer no comando do São Paulo se tiver um time em condições de brigar pelo título, o que é inviável financeiramente no momento. Ele também critica o presidente Julio Casares pela articulação nos bastidores para alterar o estatuto do clube.

"A sensação que eu tive, ele deu indícios de que só quer ficar se for para ganhar títulos e o São Paulo não tem dinheiro para um elenco para ser campeão. Quem tem condição de montar um time para ser campeão não quer o Rogério Ceni, o Palmeiras, o Flamengo e o Atlético-MG não seriam lugares onde ele trabalharia", diz Guedes.

"O presidente do São Paulo está preocupado em mudar estatuto, em fazer coisa na surdina sem revelar publicamente, ficar mais um tempo no poder, aprendeu com o Juvenal Juvêncio, que fez o terceiro mandato. Querem mudar o estatuto, continuar, então o São Paulo é um time tão grande, a terceira torcida do país, mas é o time menos democrático das grandes torcidas, o São Paulo que já foi soberano, vanguardista, passa pelo pior momento institucional da história", conclui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol