PUBLICIDADE
Topo

Francês - 2021/2022

Ligue 1 perde até R$ 5 bilhões com covid-19 e fiasco de direitos de TV

Ligue 1 vive profunda crise que a obriga a traçar plano para "salvar" o futebol francês - Nicolas Creach/Ligue 1
Ligue 1 vive profunda crise que a obriga a traçar plano para "salvar" o futebol francês Imagem: Nicolas Creach/Ligue 1

Do UOL, em São Paulo

08/12/2021 13h17

Classificação e Jogos

O Campeonato Francês vive uma séria crise financeira e esportiva, admitiu hoje (8) o presidente da liga. Segundo Vincent Labrune, a Ligue 1 acumula prejuízo de até 800 milhões de euros (cerca de R$ 5 bilhões) desde o início da pandemia de covid-19 e o fiasco da negociação dos direitos de transmissão para a TV.

A liga francesa ficou no prejuízo ao vender os direitos de transmissão para a Mediapro, em 2018, em uma negociação que não teve garantias bancárias. Depois de o campeonato 2019-20 ser cancelado, a empresa deixou de pagar 334 milhões de euros, e o imbróglio só terminou com a rescisão do contrato.

"Tivemos de 600 a 800 milhões de euros de prejuízo desde o começo da crise do coronavírus", diz Labrune. "Nossos direitos de TV na França são metade do que os de países vizinhos. Precisamos maximizar a próxima chamada para interessados, mas ao mesmo tempo temos que manter a França no top-5 das ligas europeias", preocupa-se o presidente da liga, que foi ouvido no Senado francês sobre seu plano de "salvar" o futebol do país cuja seleção é a atual campeã mundial.

Durante 1h30 de audiência, Labrune admitiu temor de o Campeonato Francês perder relevância, "descer para uma segunda divisão na Europa e se tornar uma liga da Eslovênia". O plano dele é reduzir a Ligue 1 para 18 clubes [em vez dos atuais 20], assim diminuir o calendário e dar mais fôlego para os clubes grandes serem competitivos no âmbito continental.

O primeiro passo desta lógica já foi dado na temporada passada, na extinção da Copa da Liga Francesa após 26 anos -não confundir com a Copa da França, que ainda existe. A expectativa é que a redução de jogos melhore o produto, atraia mais dinheiro e fortaleça os clubes franceses.

"Não há dúvidas de que precisamos reparar os erros cometidos na venda dos direitos de TV em 2018. Precisamos no mínimo largar do mesmo nível que os [campeonatos] vizinhos para tentar bons resultados nas copas da Europa. Precisamos salvar nossas locomotivas, senão sequer teremos um campeonato mais", argumenta Vincent Labrune.