PUBLICIDADE
Topo

Futebol feminino

Corinthians marca no fim, vence São Paulo e é tri do Paulistão Feminino

Gabi Zanotti, meia do Corinthians, em ação na final do Paulistão Feminino; ela marcou dois gols na decisão - Reprodução/Twitter
Gabi Zanotti, meia do Corinthians, em ação na final do Paulistão Feminino; ela marcou dois gols na decisão Imagem: Reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

08/12/2021 22h56Atualizada em 09/12/2021 00h37

Um, dois, três: a equipe feminina do Corinthians é tricampeã paulista. Em um jogo tenso nesta noite contra o São Paulo na Neo Química Arena, a equipe comandada por Arthur Elias venceu com gol no fim o rival por 3 a 1, revertendo o 1 a 0 na partida de ida e levantando o título do estadual.

O estádio em Itaquera, aliás, foi um trunfo para as jogadoras até o apito final. Foram 30.077 torcedores presentes, maior público de um jogo feminino entre clubes na história do futebol feminino no Brasil.

O UOL Esporte resumiu o que foi o clássico paulista disputado nesta noite. Confira abaixo:

Susto lá e cá

O jogo começou movimentado e com as duas equipes buscando o ataque. A primeira grande chance foi do time da casa: aos seis minutos, a zagueira Giovanna Campiolo subiu mais que todo mundo após escanteio e cabeceou firme ao gol de Carla, que fez a defesa.

Dez minutos depois, um tiro de meta despretensioso quase gerou um gol do São Paulo. Após uma confusão entre a zaga das mandantes, Glaucia finalizou de cobertura e assustou Natascha —a bola foi para fora.

Show de Zanotti!

Gabi Zanotti, do Corinthians, comemora gol na final do Paulistão Feminino - Rodrigo Gazzanel/Corinthians  - Rodrigo Gazzanel/Corinthians
Gabi Zanotti, do Corinthians, comemora gol na final do Paulistão Feminino
Imagem: Rodrigo Gazzanel/Corinthians

Depois de neutralizar as adversárias, o Corinthians chegou ao gol aos 24 minutos. Em cruzamento de Tamires pela esquerda, a bola pipocou na entrada da área e sobrou para Gabi Portilho, que rolou para Gabi Zanotti.

A camisa 10, de primeira, bateu colocado com muita categoria e acertou o ângulo de Carla, abrindo o placar e igualando a decisão.

Empurrada pela torcida, a equipe mandante ampliou menos de dez minutos depois —e mais uma vez com Zanotti.

Em novo cruzamento de Tamires —desta vez por baixo—, a meio-campista apareceu por trás das marcadoras e, com o gol aberto, fez o 2° gol da partida, deixando o Corinthians com o tricampeonato estadual momentaneamente.

Diany arrisca e carimba a trave

Os gols não diminuíram a intensidade da equipe do Corinthians, que continuou com o forte ritmo sobre o São Paulo.

Aos 38, Diany experimentou um chute de fora da área e obrigou Carla a espalmar para escanteio. Três minutos depois, a volante praticamente repetiu o lance e, desta vez, acertou o travessão rival.

Natascha erra, e São Paulo diminui

Já nos acréscimos do 1° tempo, as visitantes balançaram a rede adversária em um erro da goleira Natascha. Ela recebeu um recuo da zaga e errou o lançamento, dando a bola de graça para Naná.

A camisa 21 do São Paulo não perdoou e, depois de dominar já dentro da área, conseguiu diminuir o placar da partida —e igualar a decisão na soma das partidas.

Naná, do São Paulo, comemora gol marcado contra o Corinthians na final do Paulistão Feminino - Reprodução/Twitter - Reprodução/Twitter
Naná, do São Paulo, comemora gol marcado contra o Corinthians na final do Paulistão Feminino
Imagem: Reprodução/Twitter

Pressão corintiana, mas...

Assim como no 1° tempo, o time mandante pressionou o São Paulo nos minutos iniciais da 2ª etapa. Gabi Portilho e Tarciane tiveram boas chances, mas não aproveitaram.

Diante da tensão e da possibilidade de a decisão ficar para os pênaltis, o jogo passou a ficar mais travado —e deu mais trabalho para a árbitra Edina Alves.

Aos 30, um novo erro de saída de bola cedeu um escanteio ao São Paulo. Na cobrança, a atacante Gláucia desviou e viu a bola parar no travessão de Natascha.

Gol no fim e festa em Itaquera

A equipe do Corinthians não se deu por satisfeita com os pênaltis e chegou ao 3° gol já nos acréscimos.

Em boa jogada trabalhada que contou com a participação de ao menos cinco atletas, Poliana recebeu na direita e cruzou rasteiro na entrada da área. Victória, de costas, rolou para Adriana.

A atacante, com categoria, deslocou Carla e marcou o gol do título, fazendo a festa dos mais de 30 mil torcedores na Neo Química Arena.

Futebol feminino