PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Tironi: Grêmio já caiu e a quarta vaga na Série B deve ser do Bahia

Do UOL, em São Paulo

02/12/2021 13h20

Classificação e Jogos

Com Chapecoense e Sport já rebaixados para a Série B, o Brasileirão ainda tem duas posições em aberto na zona de rebaixamento, hoje ocupadas por Grêmio e Bahia, enquanto Athletico-PR, Cuiabá, Juventude, Atlético-GO e até o São Paulo correm risco de queda. Para Eduardo Tironi e Renato Maurício Prado, o caso do Grêmio é irreversível.

No UOL News Esporte, Tironi explica que já considera o Grêmio entre os rebaixados e acha que o Bahia deve ser o outro time a cair devido aos jogos que tem pela frente, contra Atlético-MG, Fluminense e Fortaleza.

"Olhando os adversários, acho que o Bahia (cai). O Grêmio para mim já caiu e aí eu acho que a quarta vaga é o Bahia. O Juventude tem um jogo a mais, consegue ainda, tem jogado melhor, eu acho. O Bahia está em uma situação bem complicada, esse jogo de hoje, por exemplo, pode selar o destino do Bahia se não vencer", afirma Tironi.

Renato Maurício Prado acredita que o Cuiabá pode acabar terminando entre os quatro últimos colocados, assim como cita o caso do Athletico-PR, adversário do clube cuiabano amanhã, como perigoso em um momento no qual vem de título da Copa Sul-Americana e está prestes a jogar uma final de Copa do Brasil com o Atlético-MG

"Eu ainda acho que pode cair o Cuiabá no lugar do Bahia, o Cuiabá também está com um jeitinho. Agora, o Athletico-PR é o primeiro fora da zona de rebaixamento. já imaginou um time campeão da Sul-Americana cair para a segunda divisão? Eu me lembro do Palmeiras campeão da Copa do Brasil que caiu, mas campeão da Copa Sul-Americana eu não me lembro", diz Renato.

"Eu acho até que pelo time, ele é um time melhor do que esses que estão, mas ele deixou chegar em um ponto muito perigoso", completa.

Tironi chama a atenção como um fator que pode ser preocupante para o torcedor do Furacão, que é o sinal de alerta na luta contra o rebaixamento, que não aparenta estar ligado no clube paranaense, diferentemente de seus concorrentes diretos.

"O Athletico-PR parece não ter ligado o modo rebaixamento, está levando ali a coisa, 'é campeão, o negócio são as copas', só que está entrando ali na área do lamaçal em uma hora que não tem mais reação nas últimas rodadas e me dá a impressão de que não está ligado o modo 'estamos correndo risco', o que é um perigo", conclui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol