PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Weverton quer aproveitar atual formato do Mundial: "Depois ficará difícil"

Weverton comemora título do Palmeiras na Libertadores após vitória contra o Flamengo em Montevidéu - AFP
Weverton comemora título do Palmeiras na Libertadores após vitória contra o Flamengo em Montevidéu Imagem: AFP

Diego Iwata e Eder Traskini

Do UOL, em Montevidéu (URU) e Santos (SP)

30/11/2021 04h00

Tricampeão da Copa Libertadores da América no último sábado (27), o Palmeiras garantiu vaga na disputa do Mundial de Clubes marcado para fevereiro de 2022. A competição pode ser a última no atual formato: anual e com um representante de cada continente.

O projeto da Fifa é transformar o torneio em quadrienal, com diversos representantes por continente, o que dificultaria novos títulos brasileiros, como aponta o goleiro Weverton — que, por isso, quer aproveitar a oportunidade.

"Em relação ao Mundial, a gente sabe que fica cada vez mais difícil. Os europeus são muito mais competitivos e jogam um futebol com grandes jogadores. Temos mais essa oportunidade, e creio que, realmente, depois vai ficar cada vez mais difícil, porque vão formar grupos e será de quatro em quatro anos. Se já é difícil ganhar de um europeu, imagina ter que ganhar de três, quatro, cinco europeus em uma competição só. Vai ser muito mais difícil", afirmou o palmeirense em entrevista exclusiva ao UOL Esporte.

O goleiro comemorou o fato de ter mais tempo de preparação entre a conquista da Libertadores e o início do Mundial, diferentemente do que ocorreu na edição passada, quando o Verdão teve apenas sete dias entre o título conquistado em cima do Santos e a estreia diante do Tigres (MEX).

"Dessa vez vamos ter um pouco mais de tempo para se preparar. Vi que é a partir do dia 3 de fevereiro, vai ser na volta das férias. Vamos ter um tempo para nos prepararmos e chegarmos com mais antecedência, nos adaptarmos melhor ao fuso horário. Lembro que no jogo da estreia (na última edição) eu tinha passado a noite inteira acordado, fui tomar café 10h da manhã porque não tinha dormido ainda. Foi muito difícil pra gente. A gente tem que se preparar bem para fazer um grande Mundial e quem sabe possamos dessa vez ter mais sucesso do que tivemos no passado", disse.

Weverton e o Palmeiras terão pela frente o vencedor entre Al Ahly (EGI) e Monterrey (MEX) na estreia no torneio, na fase semifinal — em que caiu na temporada passada para os mexicanos do Tigres. Caso avance, pode ter pela frente o Chelsea (ING), atual campeão da Liga dos Campões da Europa.

No ano passado, a equipe voltou do torneio bastante criticada depois de ter sido derrotada pelo Tigres (MEX) na semifinal e pelo mesmo Al Ahly na disputa por pênaltis.

Um líder de fora

Numa tradicional escola que formou nomes Oberdan Cattani, Valdir de Morais, Leão e Marcos, Weverton aproveitou a porta aberta por Prass e levou muito adiante a ideia de que há também espaço para goleiros forasteiros no panteão de ídolos do clube.

Assim como na temporada 2020, o acreano de 33 anos foi peça fundamental no esquema de Abel Ferreira, com as mãos e os pés. O goleiro inicia jogadas lançando companheiros com a mesma destreza que defende bolas disparadas cara a cara. Na final, se não conseguiu evitar o empate flamenguista no segundo tempo numa finalização precisa de Gabigol, no contrapé, o goleiro fez ao menos duas grandes defesas diante de Arrascaeta e David Luiz.

A cada ano, sua liderança sobre o grupo se consolida e a admiração por parte de torcedores só cresce —assim como a da comissão técnica da seleção. Com a conquista de 2021, Weverton chega a seu quinto título no Alviverde: um Paulista, uma Copa do Brasil, um Brasileiro e, agora, duas Libertadores

Weverton se tornou tão importante que as antes impensáveis comparações no passado com o ídolo maior Marcos serem não só aventadas, mas muitas vezes vencidas por Weverton. Com a benção do próprio Santo.

Palmeiras