PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Uma foto para a história: Hulk se preparou para ser ídolo do Atlético-MG

Hulk repetiu a comemoração de Reinaldo para homenagear o maior goleador da história do Atlético-MG - Pedro Souza/Atlético
Hulk repetiu a comemoração de Reinaldo para homenagear o maior goleador da história do Atlético-MG Imagem: Pedro Souza/Atlético

Victor Martins

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte (MG)

30/11/2021 04h00

José Reinaldo de Lima é o maior goleador da história do Atlético-MG, com 255 gols marcados desde a estreia aos 16 anos, em 1973, até 1985. Para os atleticanos mais velhos, não há dúvidas, se trata também do maior jogador de todos os tempos do Galo. Para os novos, o Rei divide esse posto com o ex-goleiro Victor ou com Ronaldinho Gaúcho. O fato é que Reinaldo é um ícone do Atlético, um rei para os alvinegros.

O braço direito erguido com o punho cerrado é uma marca de Reinaldo, que se inspirou no movimento dos Panteras Negras. Era assim que ele comemorava os gols nos anos 70 e 80, durante a Ditadura Militar. Era um protesto contra a situação política do Brasil e também contra o racismo. Inclusive, o goleador do Galo era personagem monitorado pelo governo federal, como consta em documentos da época.

Com esse gesto na memória, no último domingo, na vitória sobre o Fluminense, por 2 a 1, que praticamente confirmou o título brasileiro, os atleticanos voltaram no tempo. Hulk fez os dois gols da virada. No segundo, prestou homenagem a Reinaldo, em frente ao camarote que estava o mítico artilheiro, hoje comentarista da TV Galo (canal oficial do clube).

Tudo planejado

O gesto de Hulk não foi apenas para agradar o Reinaldo ou fazer média com a torcida. O atual camisa 7 do Atlético estava ciente do significado daquela comemoração. Como também sabe a importância de Reinaldo e tantos outros jogadores que defenderam o clube nesses quase 50 anos de jejum de títulos do Brasileirão. Hulk se preparou para ser ídolo do Atlético.

Reinaldo foi artilheiro do Campeonato Brasileiro de 1977, com 28 gols - Folhapress - Folhapress
Reinaldo foi artilheiro do Campeonato Brasileiro de 1977, com 28 gols
Imagem: Folhapress

Não somente dentro de campo, com os gols e as grandes atuações. Givanildo Vieira de Sousa, que é o Bruce Banner da vida real, estudou para ser ídolo da torcida atleticana. Quando desembarcou na Cidade do Galo, Hulk já sabia quem era quem na história do clube. Com auxílio de vídeos, revistas antigas e até álbuns de figurinhas, o atacante conheceu bastante sobre os jogadores que vestiram a camisa alvinegra nas últimas décadas e foram marcantes.

Antes mesmo de colocar os pés em Belo Horizonte o caminho para se tornar ídolo do Galo não era mais segredo para Hulk. Aliás, a opção por voltar ao futebol brasileiro ao invés de seguir recebendo em euros foi justamente um desejo pessoal. Hulk tinha em mente a necessidade de criar identificação com alguma grande torcida do país. "Antes de vestir essa camisa, esse manto, quero lembrar dois grandes ídolos, Reinaldo e Éder. Pegar como exemplo para fazer um grande trabalho e, no futuro, ser ídolo também, conquistando títulos", disse Hulk, em fevereiro, no dia que foi apresentado como reforço do Atlético para a temporada 2021. O atacante ainda projetou a briga pelo Brasileirão, para conquistar um título que outros tantos ídolos não conseguiram.

"Claro que eu venho com essa intenção de também criar minha história aqui, como em outros times que passei. O Ronaldinho Gaúcho é um fenômeno. Eu tive a oportunidade de jogar com ele na seleção, e ele honrou essa camisa, foi campeão da Libertadores, um título muito importante. Onde eu passei, eu consegui ser campeão, aqui não vai ser diferente. Eu sei que faz alguns anos, algumas décadas que o Atlético não é campeão brasileiro. E eu tenho vontade de realizar o desejo de todos, pode ter certeza que eu vou buscar isso junto com meus companheiros", profetizou Hulk, que está muito próximo de alcançar o que planejou.

Para a história

Ali no momento que era dele, Hulk fez questão de reconhecer a importância de um jogador que não foi campeão brasileiro pelo Galo —batendo na trave duas vezes—, mas que está imortalizado na história do clube e do futebol brasileiro.

Ao erguer o braço direito e cerrar o punho, Hulk criou uma imagem que certamente vai ficar na história do clube. Não só pela comemoração, nem tampouco por todo o protagonismo dentro de campo nesta temporada. Hulk mostrou conhecer bem o passado do clube, como um verdadeiro atleticano.

"Fico muito feliz com a sua homenagem, com o seu carinho. Na hora, eu estava comemorando junto com seu pai aqui do lado. Tenho que agradecer por tudo o que você fez pelo Galo. Você sempre estará nos nossos corações. Você é nosso ídolo. E foi a melhor contratação que o Galo fez nos últimos anos, você trouxe alegria. Você merece muito mais. Não sou eu que estou te abraçando, é a massa do Galo. Você estará eternamente em nossos corações. Nós te amamos!", disse Reinaldo para Hulk, em conversa via TV Galo.

Futebol