PUBLICIDADE
Topo

Santos

Meninos ganham 'casca', e Santos vislumbra time mais forte em 2022

Ângelo, Kaiky e Gabriel Pirani na vitória do Santos em cima do Deportivo Lara (VEN) pela Pré-Libertadores, em 9 de março de 2021 - Ivan Storti/Santos FC
Ângelo, Kaiky e Gabriel Pirani na vitória do Santos em cima do Deportivo Lara (VEN) pela Pré-Libertadores, em 9 de março de 2021 Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Luciano Ribeiro

Colaboração para o UOL, em Santos

30/11/2021 07h44

Classificação e Jogos

O drama está superado. Com 46 pontos, o Santos se vê praticamente livre do rebaixamento no Campeonato Brasileiro, esperando apenas a matemática confirmar. Além de celebrar o fim desse pesadelo, o Peixe comemora o desempenho dos Meninos da Vila e já planeja um time muito mais cascudo e forte para 2022.

Cascudo porque os garotos passaram no teste de fogo. Suportaram a pressão enorme que foi afastar do Santos a ameaça de uma queda inédita para a segunda divisão. Forte porque a evolução técnica de alguns jovens é nítida e empolga desde a diretoria até o sempre moderado técnico Fábio Carille.

Mesmo chegando a um clube que está acostumado a apostar nas crias da casa, o treinador se mostrou um tanto preocupado em escalar um time tão jovem. Mas, aos poucos foi se rendendo, não só por necessidade - devido a lesões e suspensões de outros atletas mais experientes -, mas também pela mística que envolve os Meninos da Vila - com suporte quase inabalável das arquibancadas.

"Fico um pouco receoso de colocá-los juntos, mas a resposta é boa. Sempre falei da qualidade dos jogadores, de ser um grupo bom. Os meninos estão dando as respostas", vibrou Carille após o empate por 1 a 1 com o Internacional, domingo (28), no Beira-Rio.

Na prática é exatamente isso o que vem acontecendo. Os garotos estão respondendo ao voto de confiança. Além de Marcos Leonardo, que fez três gols nos últimos dois jogos, o técnico santista viu Ângelo ser mais incisivo com a bola nos pés, partindo para cima de seus marcadores com mais confiança e criando diversas jogadas perigosas.

A segurança e a maturidade de Kaiky já não são mais surpresas para o torcedor. Mas Carille só viu jogador em ação após ele se recuperar da lesão muscular na coxa esquerda que o afastou por dois meses e meio dos gramados. Até agora foram cinco jogos que encantaram a comissão técnica, mesmo com pequenos detalhes a serem corrigidos.

Gabriel Pirani é outro bom exemplo. Dos meninos lançados esse ano foi o que mais jogou, mas também foi o que mais oscilou. Nos últimos jogos com Carille, porém, mudou a dinâmica de jogo ofensivo do Peixe - com exceção da derrota para o Corinthians, em que ninguém jogou nada.

A mais recente atuação que animou a comissão técnica e a diretoria foi a de Sandry, de volta ao time após quase 8 meses de recuperação de uma cirurgia de reconstrução do ligamento cruzado anterior do joelho direito. É claro que o jogador ainda não conseguiu mostrar o futebol que o levou para o time principal, mas a expectativa é enorme para que ele se consolide em 2022.

O que 2022 reserva para essa garotada?

Ainda é cedo para afirmar que os Meninos da Vila vão formar a base do Santos em 2022. No entanto, ninguém na Vila Belmiro duvida que esses garotos estão passando por um processo de amadurecimento que será muito importante no ano que vem.

A esperança da diretoria é de que esses jogadores cheguem "voando" na próxima temporada, com muito mais confiança.

Há risco de perder algum jovem valor em 2022?

Neste sentido, a única e pequena dor de cabeça do Santos é o atacante Marcos Leonardo, que vem se destacando nos últimos jogos e já brilhou na grande vitrine que é a seleção brasileira sub-18. O temor geral é de que ele seja assediado por algum clube do exterior, já que poderá assinar um pré-contrato a partir de abril do ano que vem - seu vinculo atual se encerra seis meses depois, em outubro.

Mas a diretoria alvinegra vem demonstrando muita confiança de que o contrato será estendido em breve, apesar de manter a negociação sobre intenso mistério.

Com relação aos outros Meninos da Vila - que têm contratos já renovados e mais longos - o Santos não descarta eventuais vendas, caso receba propostas oficiais que atendam aos interesses do clube. O presidente Andres Rueda já disse algumas vezes - e já mostrou na prática neste ano - que não há ninguém inegociável na Vila Belmiro.

Outro indício de que novas saídas podem acontecer em 2022 é que o orçamento do ano que vem prevê uma receita milionária com vendas de jogadores. Apesar disso, o clube diz que não recebeu nenhuma oferta até o momento.

Chegada de reforços: dificilmente terá pacotão

Depois de um ano tão complicado como 2021, é claro que o Santos pensa em buscar reforços. Porém, esse assunto é mantido sob sigilo absoluto dentro da Vila Belmiro. O motivo é simples: como o Peixe está mirando oportunidades de mercado, quer evitar despertar o interesse de outros rivais em jogadores que estão ao seu alcance.

Entenda-se por "oportunidades de mercado" aqueles atletas de qualidade comprovada e que se encaixam dentro da condição econômica do clube.

Não é impossível acontecer, mas não está nos planos do Santos buscar um pacotão de reforços. A ideia é buscar qualidade e não quantidade. Assim, acredita-se, é mais fácil agregar valor ao material humano que o próprio Santos desenvolveu: os Meninos da Vila.

Santos