PUBLICIDADE
Topo

Brasileirão - 2021

Após primeira Série A, Carné tem futuro incerto e crê em permanência do Ju

Marcelo Carné, goleiro do Juventude, disputou sua primeira Série A - Fernando Alves/Juventude
Marcelo Carné, goleiro do Juventude, disputou sua primeira Série A Imagem: Fernando Alves/Juventude

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

27/11/2021 04h00

Classificação e Jogos

Marcelo Carné disputou sua primeira Série A. Com o fim do campeonato se aproximando, o goleiro do Juventude tem futuro incerto pelo encerramento de seu contrato e olha para trás orgulhoso do que fez. Enquanto se prepara para o caminho que o destino indicar, ele acredita na permanência da equipe de Caxias do Sul na elite.

"E uma realidade bem possível. Acredito que desde que o Jair chegou a confiança voltou, as vitórias voltaram e temos jogado com muita consistência. Sou bem otimista quanto as nossas chances", disse ao UOL Esporte.

Segundo ele, o crescimento do Ju se deu com a chegada de Jair Ventura, que renovou as esperanças de seguir na elite do futebol.

"Houve uma influência bastante direta. Sou contra trocas constantes de treinador, mas em alguns casos um novo comando e uma nova forma de enxergar o futebol e o grupo ajudam no processo. A meu ver, nossas boas chances de permanência passam muito pela chegada do Jair", opinou.

Carné é nome importante na história do Ju. No clube desde 2019, ele tem mais de 100 jogos com a camisa alviverde e participou das campanhas que levaram a equipe da Série C para a Série B, e da B para a primeira divisão do Brasileiro. Nesta temporada, disputou a primeira Série A de sua carreira.

"A avaliação é bastante positiva. Pessoalmente, pude completar mais de 100 jogos com a camisa do Ju, joguei mais da metade dos jogos da minha primeira Série A e, junto ao clube, pude ajudar na classificação pra uma semifinal de Gauchão depois de tantos anos. Além de quebrar mais alguns tabus e fazer parte dessa campanha tão honrosa no Brasileiro, onde muitos acreditavam que não teríamos a menor chance de permanecer", afirmou.

"Tiveram vários momentos bem especiais como poder enfrentar o clube que me formou [Flamengo] e ainda vencermos a partida [1 a 0, pela sétima rodada]. Mas o principal foi poder competir contra os melhores atletas do país. Fui o goleiro com mais minutos em campo no primeiro turno. São situações que vão ficar guardadas", completou.

O futuro, porém, é incerto. Carné tem contrato encerrando ao fim do ano e garante, neste momento, que está focado em se preparar ainda melhor para temporada que vem. Enquanto isso, ele deixa a identificação ao clube do Alfredo Jaconi de lado para focar em evoluir profissionalmente.

"Acredito que o ano foi bastante atípico, sem tempo de preparação e descanso adequados entre uma temporada e outra. Por isso, não tive tempo de curar as pequenas lesões que acabamos tendo e influenciam na performance ao longo do ano. Ainda mais pra mim, que vim numa batida forte nesses últimos anos. Então, em primeiro lugar, quero usar esse tempo para me recuperar dessas questões e estar 100% para poder ser a minha melhor versão, e a partir daí buscar meus objetivos", contou.

"E muito legal ter essa identificação, fico muito orgulhoso quando os torcedores me falam o quanto viam o amor que sempre defendi o Ju. A minha história aqui já está marcada, mas não será isso que vai me fazer continuar ou não", acrescentou.

Carné tem 36 jogos pelo Juventude na temporada. Atualmente, ele disputa posição com Douglas. A equipe de Caxias do Sul volta a campo para seguir a batalha pela permanência na Série A apenas na terça-feira (30), quando encara o Red Bull Bragantino.