PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Téo José: "Ansiedade por Palmeiras x Fla é maior que na final com o Santos"

Téo José narrará a final entre Palmeiras e Santos pelo SBT - Marcus Steinmeyer/UOL
Téo José narrará a final entre Palmeiras e Santos pelo SBT Imagem: Marcus Steinmeyer/UOL

Talyta Vespa

Do UOL, em São Paulo

26/11/2021 15h04

Classificação e Jogos

Téo José está prestes a narrar sua segunda final brasileira de Copa Libertadores pelo SBT. Já em Montevidéu, o narrador se mantém concentrado desde quarta-feira (24) — do hotel para o estádio; do estádio para o hotel. O intuito da preservação é se blindar de energias negativas — apesar de ser católico e devoto de Nossa Senhora de Fátima, Téo prefere prevenir do que remediar.

"Pouco antes da final entre Palmeiras e Santos [em janeiro], peguei covid-19. Algumas semanas atrás, pertinho desta final, precisei fazer uma cirurgia no rosto. Melhor evitar mais energia negativa", brinca. Nesta sexta-feira (26), o goiano vai abrir uma exceção e sair para procurar uma igreja pela cidade, ritual que cumpre sempre antes de grandes decisões.

Téo José afirma que a equipe do SBT está mais entrosada para a segunda transmissão do evento, cujos direitos foram adquiridos pela emissora em setembro de 2020. No entanto, ele está mais ansioso.

"Palmeiras x Flamengo se tornou um clássico, e sinto uma atmosfera maior nesta Libertadores do que na última, principalmente em relação à intensidade das torcidas. A rivalidade aumentou de um tempo para cá, inclusive. Então, por mais que seja a segunda experiência [de uma final de Libertadores] pelo SBT, estou mais ansioso dessa vez", diz.

A atmosfera a qual Téo se refere tem se intensificado a cada dia em Montevidéu. As ruas da capital uruguaia estão tomadas por torcedores — de acordo com Téo, em sua maioria, flamenguistas. Por ora. "Soube que três mil torcedores da Mancha Verde vão chegar hoje por aqui. Estão vindo de ônibus", conta. A tomada das ruas se dá, também, porque no Uruguai as medidas restritivas contra o coronavírus estão menores. Mas não para ele.

"Aqui foi desobrigado o uso de máscara ao ar livre, mas os protocolos de prevenção à covid-19 estão mais intensos do que no Rio de Janeiro na última final", afirma. De quarta até a manhã desta sexta-feira, quando falou com o UOL, Téo já havia feito três testes PCR. No mesmo período em que ficou no Rio de Janeiro para a final no Maracanã, o narrador foi submetido a apenas uma testagem.

Superstição palmeirense

Desde que Téo José começou a narrar jogos do Palmeiras pelo SBT, o time não perdeu uma vez sequer. Palmeirenses supersticiosos acreditam que ele pode ser o amuleto que falta para a consagração consecutiva do Verdão. Ele comenta: "É uma coincidência engraçada, mas não se pode esquecer que, por muitos anos, eu narrei o Campeonato Carioca, com vários títulos do Flamengo".

A coincidência é real. Quando o Palmeiras perdeu para o River Plate na semifinal da competição passada, no jogo de volta, Téo estava afastado do SBT com covid-19. Quem deu voz à partida foi Luiz Alano.

"A torcida brinca com isso, e também com o fato de eu ter criado o apelido 'Rony Rústico' no mesmo período em que o Rony deslanchou no Palmeiras. Mas é só coincidência. A torcida do Flamengo começou a pegar um pouco no meu pé depois de um texto de um colunista maldoso, que disse que o SBT esnoba o Flamengo. Como alguém pode esnobar um time como o Flamengo?". Téo José se refere ao texto "SBT escolhe Palmeiras x Atlético na semi da Libertadores e escanteia Flamengo", publicado pelo portal Notícias da TV.

Depois da publicação da reportagem, Téo diz que passou a ser atacado nas redes sociais. "O texto não disse, no entanto, que as escolhas dos jogos a serem transmitidos estão relacionadas ao apelo nacional que os times têm. O SBT optou por transmitir Palmeiras x São Paulo [nas quartas de final] porque são dois times brasileiros, e a audiência é maior, é claro. O mesmo aconteceu quando o Palmeiras jogou contra o Atlético-MG na semifinal", explica.

"Desde que esse texto foi publicado, pelo menos uma vez por dia um torcedor flamenguista vem até minhas redes sociais dizer que a gente despreza o Flamengo. Isso não faz sentido algum. Transmitimos 60% dos jogos do Flamengo neste ano."

Téo não liga muito para os haters, afinal, talvez o jogo de sábado seja o mais importante de sua carreira na TV aberta. "Narrei o 7 a 1, a decisão da Copa do Mundo no Maracanã; a última Libertadores, a derrota do Palmeiras para o Boca no Morumbi — com o Maradona do meu lado! Fiz jogos incríveis. Mas quando é na TV aberta, tudo muda. Por isso, acho que o jogo deste sábado vai ser a decisão mais importante que já narrei até hoje".

Para amenizar a ansiedade, ele conta, agarra firme a medalhinha de Nossa Senhora de Fátima que carrega no peito. E reza. "Vai ser um jogo inesquecível".

Outro lado

Procurado pela reportagem, o editor-chefe do Notícias da TV, Daniel Castro, justificou a coluna citada pelo narrador:

"Haters com qualquer torcida são um problema do futebol, do locutor e da emissora para a qual ele trabalha. O Notícias da TV apenas cumpriu o seu dever de informar que o SBT optou por transmitir as duas semifinais de Palmeiras e Atlético-MG e nenhuma do Flamengo, como já tinha ocorrido nas oitavas da Libertadores, quando o jogo escolhido foi São Paulo x Racing, ao invés de Flamengo x Defensa y Justicia, e também nas quartas. Ou seja, o SBT priorizou times de São Paulo."

UOL Esporte vê TV