PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Náutico cria comissão feminina e demite diretor acusado de assédio

Escudo do Náutico no Estádio dos Aflitos, no Recife - divulgação
Escudo do Náutico no Estádio dos Aflitos, no Recife Imagem: divulgação

Do UOL, em São Paulo

26/11/2021 00h46

O Náutico confirmou hoje (25) a demissão do superintendente financeiro, Errisson Rosendo de Melo, acusado de assédio sexual e moral por ex-funcionárias do clube. O dirigente estava afastado desde a última segunda-feira (22).

O clube pernambucano anunciou também a criação imediata de uma comissão feminina —composta por duas representantes do clube, duas representantes do Conselho Deliberativo e quatro representantes vindas da torcida.

As denúncias contra Errisson vieram à tona no início da semana, quando a ex-diretora da mulher e de operações do Náutico, Tatiana Roma, revelou episódios de assédio sexual e moral.

A ex-funcionária expôs os assédios em publicação nas redes sociais. Ela registrou Boletim de Ocorrência na 1ª Delegacia de Polícia da Mulher, no bairro de Santo Amaro, no Centro do Recife, no dia 12 de novembro.

Em nota, o Náutico assumiu o compromisso de "criar um ambiente seguro para as colaboradoras e torcedoras".

Leia o comunicado do Náutico na íntegra:

O Clube Náutico Capibaribe vem a público informar que criará imediatamente uma Comissão Feminina, com a primeira reunião marcada para acontecer na próxima semana. Esta comissão será composta por duas representantes do clube, duas representantes do Conselho Deliberativo e quatro representantes vindas da torcida. A coordenação será realizada pela Women Friendly, empresa contratada pelo clube para tratar o assunto e especializada em treinamentos, canais de apoio e consultoria para prevenir e combater o assédio ou qualquer outra importunação sofrida por mulheres em organizações e entidades.

Em relação ao colaborador envolvido no caso em pauta, que já teve o seu afastamento noticiado nos veículos de imprensa, entendemos que a demissão do mesmo era inevitável, diante dos recentes fatos. Não há, desde a última segunda-feira (22), qualquer vínculo do profissional com o clube.

O Clube Náutico Capibaribe assume o compromisso com a mudança e seguirá as orientações da Women Friendly, com o objetivo de criar um ambiente seguro para as colaboradoras e torcedoras.

Futebol