PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Formiga revela briga com dirigente da CBF no início da carreira

Formiga e Thaísa se preparam para iniciar o jogo da seleção brasileira contra a Jamaica - Naomi Baker - FIFA/FIFA via Getty Images
Formiga e Thaísa se preparam para iniciar o jogo da seleção brasileira contra a Jamaica Imagem: Naomi Baker - FIFA/FIFA via Getty Images

Colaboração para o UOL

25/11/2021 12h53

A seleção brasileira entra em campo hoje, às 22h (Brasília), diante da Índia, em partida que marca a última aparição de Formiga com a camisa amarelinha.

Em entrevista ao The Players Tribune, a jogadora de 43 anos, que é parte da seleção desde os 17, revela que ainda em seus primeiros momentos na seleção, envolveu-se em uma briga com um dos dirigentes da Confederação Brasileira de Futebol.

"Para alguns antigos dirigentes, a estética era a melhor forma de chamar atenção para a modalidade. Na cabeça deles, o importante era um rostinho bonito para atrair holofotes", relembra em texto publicado hoje.

Formiga ainda diz que comandantes da entidade recomendavam que mulheres negras do elenco deixassem os cabelos crescerem ou os alisassem, com o pretexto de que as atletas precisavam "ser mais femininas".

"Mas eu era justamente o contrário do padrão que esperavam de mim. Em protesto, fui lá e raspei o cabelo. Um deles veio me cobrar quando me viu de cabelo raspado: 'Tá louca, é?'. Nem dei ideia. Outras meninas também rasparam, outras traçaram o cabelo, e eles tiveram que respeitar. Aquela foi a minha resposta. Acredito que atitudes simples podem ajudar a quebrar o racismo e abrir os olhos das pessoas", conta a jogadora.

Sentimento ao se despedir da Seleção

A atleta, que defendeu o Brasil dentro das quatro linhas por 26 anos, diz que a sensação ao se despedir é de "dever cumprido".

Apesar do sentimento positivo de "fim de ciclo" e da "chuva de amor e carinho" que vem recebendo desde que anunciou a aposentadoria, a jogadora de 43 anos não esconde apego aos gramados, ao relembrar a canção "Não Aprendi a Dizer Adeus", composta por Joel Marques e imortalizada pela dupla Leandro e Leonardo.

"Não aprendi dizer adeus, não sei se vou me acostumar a não ser mais a 'Formiga da seleção'. Só quero dizer às minhas companheiras que a semente que plantamos vai render frutos muito além dos gramados. Acreditem! A hora de colher está mais próxima do que vocês imaginam", comenta.

Futebol