PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Abel vê desgaste como crucial na derrota e cita maior descanso para o Flu

Colaboração para UOL, em São Paulo

14/11/2021 21h14

O técnico Abel Ferreira, do Palmeiras, avaliou que a derrota de virada para o Fluminense por 2 a 1, na noite de hoje (14), teve dois jogos distintos: um no primeiro tempo, com superioridade alviverde, e outro na etapa final, com os cariocas melhores. Para o português, o dia a menos de descanso de seu elenco foi fator de influência para a queda de rendimento na partida no Maracanã.

"Acho que houve dois jogos, um na primeira parte, outro na segunda. Na primeira o Palmeiras foi superior, poderia chegar ao intervalo com o 'score' maior, se tivesse mais calma para finalizar as jogadas. A equipe mostrou caráter, personalidade, mesmo em um gramado com irregularidade. E devíamos ter ido com outro resultado ao intervalo. Na segunda parte, o adversário foi melhor, teve frescor físico, por mais de um dia de descanso", avaliou Abel.

Se na etapa inicial o Verdão foi superior e abriu o placar com um golaço de Dudu, no segundo tempo o time viu o Tricolor reagir e se sobrepor com mais agressividade no ataque e na marcação, alcançando a virada com dois gols de Yago Felipe, em chutes pela entrada da área.

Para o treinador, a partir do período entre 15 e 25 minutos da etapa final, o desgaste pesou para a equipe palmeirense, que errou muitos passes e o posicionamento dentro de campo. "Enquanto tivermos pernas e cabeça, a equipe manteve o foco. O adversário teve mais um dia para recuperar. Mérito do nosso adversário. Vamos analisar como foram nossas transições", pontuou o técnico.

A respeito do jogo contra o São Paulo, na próxima quarta-feira (17), Ferreira desconversou sobre uma maior importância devido ao confronto ser um clássico.

"Não há ninguém que quer ganhar mais que eu, mas tenho que aceitar [as derrotas] sempre. Fizemos uma grande primeira parte. Na segunda parte, não tivemos nem perna nem cabeça. Nosso próximo jogo vale os mesmos três pontos. Vamos ver como a equipe recupera, e vamos escolher aqueles que tiverem em melhores condições física para dar uma boa resposta em casa", concluiu.

Com 58 pontos, o Verdão ocupa o terceiro lugar na tabela de classificação do Brasileirão.

Confira outras respostas de Abel Ferreira na coletiva de imprensa:

No segundo tempo, Palmeiras não foi dominante no meio-campo. Como avalia?

"Nós na segunda parte não fomos fortes, sobretudo no meio-campo. Uma parte por falta de frescor físico, outra por falta de foco. O jogo acabou por ser definido com uma bola fora da área, um chute muito bem colocado. Não conseguimos ter a capacidade de impor o nosso jogo. Não houve indicações do contrário. Substituições foram no sentido de refrescar. Tivemos situações de 3 contra 2, poderíamos definir melhor. Mas o nosso adversário foi feliz hoje. Devíamos ter feito dois gols [no primeiro tempo], eles fizeram na segunda parte."

O que muda com Mayke e Gabriel Menino, sobretudo no ataque?

"Não queria muito abrir o jogo, mas estou a fazer minhas experiências. Na minha cabeça, está muito claro o que temos que fazer. Mas no dia 27 vocês saberão quem vai jogar."

Em que momento perdeu a disciplina e foco? E como avaliou a briga após o jogo?

"Ainda vou analisar o jogo. Tenho que ver quem são os jogadores que fizeram [parte da briga], como fizeram, se são reincidentes. Peço muito controle emocional. Todos sabem que gosto de ordem, disciplina, não adianta brigar depois do jogo. Tenho que falar com meus jogadores, sobretudo esses que perderam o foco. Não adianta depois do jogo, quando o adversário foi melhor que nós. Temos que descontar dentro do jogo, cumprir com nossas funções táticas específicas."

Maior descanso para o Fluminense

"Um dia a mais de descanso faz uma diferença terrível. As equipes que manejarem melhor o calendário vão ter mais probabilidade de chegar ao fim do campeonato e ganhar o Brasileirão, ou ter uma melhor classificação. A única coisa que peço aqui é que seja igual para todos, e não haja adiamento de jogos. Que haja o mesmo nível de descanso para todos. Esses jogadores não são de ferro, nem esse técnico. Não quero nem mais nem menos, espero que as regras [no Brasileirão 2022] sejam iguais para todos, para que esse campeonato seja igual para todos."

Futebol