PUBLICIDADE
Topo

Após ameaças, menino santista volta à Vila, ganha camisa e visita vestiário

Do UOL, em São Paulo

10/11/2021 19h16

B. N., torcedor do Santos de 9 anos que foi alvo de ameaças após pedir a camisa do goleiro Jailson, do Palmeiras, no clássico do último domingo (7), voltou à Vila Belmiro. O garoto foi convidado pelo Peixe para acompanhar o jogo contra o Red Bull Bragantino, pelo Campeonato Brasileiro, na noite de hoje.

Três dias após ser hostilizado por torcedores, B. N. foi recebido com carinho por jogadores do Santos. Ele posou ao lado dos atletas antes da partida e visitou o vestiário da equipe. O menino ainda ganhou uma camisa personalizada da diretoria santista.

Além do Santos, o Red Bull Bragantino também presenteou o garoto com uma camisa. "Esperamos a sua visita em Bragança Paulista", publicou o time do interior de São Paulo.

Nos últimos dias, B. N. recebeu o apoio de clubes e de muitas personalidades do esporte — entre eles, Pelé, Neymar e Gabigol. O goleiro Jailson entrou em contato com o menino e compartilhou uma foto da ligação de vídeo nas redes sociais, e o técnico Tite convidou B. N. a acompanhar um treino da seleção brasileira.

Relembre o caso

A confusão aconteceu no setor "Geral" da Vila Belmiro logo após a derrota do Santos contra o Palmeiras por 2 a 0. O menino santista cumprimentou Jailson e pediu de presente a camiseta do goleiro reserva alviverde. O jogador atendeu ao pedido, mas alguns torcedores do Peixe não gostaram da atitude e ameaçaram agredir a criança e o pai.

Após o episódio, a criança utilizou o Instagram para se posicionar. O garoto se desculpou, explicou que não pegou a camisa para ofender alguém e que reforçou ser torcedor do Santos.

"Oi, gente. Tudo bem? Me desculpa se alguém se ofendeu, que eu peguei a camisa do Jailson. Eu gosto muito dele. E gosto do Weverton [titular do Palmeiras] porque ele é da seleção brasileira. Eu não sou palmeirense, é que eu gosto muito do Jailson. Eu não sou palmeirense, sou santista. Eu fui em todos os jogos de 2019, agora estou tentando perder esse tempo que não fui na Vila. Eu não sou palmeirense, sou santista. Eu sou santista. Sempre apoiei o Santos nos momentos mais difíceis. Sempre estive junto com o Santos. Não quis pegar a camisa do Jailson pra ofender ninguém", disse o menino.

A diretoria do Santos se posicionou sobre a situação e convidou pai e filho para assistirem ao jogo contra o Red Bull Bragantino hoje, no camarote da Vila Belmiro. O clube ainda ressaltou que não compactua com qualquer tipo de violência.