PUBLICIDADE
Topo

Menino santista é ameaçado e pede desculpa após pedir camisa de Jailson

B.N., garoto ameaçado por parte da torcida do Santos na Vila Belmiro, pede desculpas em vídeo - Instagram / Reprodução
B.N., garoto ameaçado por parte da torcida do Santos na Vila Belmiro, pede desculpas em vídeo Imagem: Instagram / Reprodução

Gabriela Brino

Colaboração para UOL, em Santos

09/11/2021 15h31

Logo após a derrota do Santos para o Palmeiras, no último domingo (7), o setor "Geral" da Vila Belmiro foi palco de confusão. O garoto B. N., 9 anos, cumprimentou Jailson e pediu de presente a camiseta do goleiro reserva alviverde. O jogador atendeu ao pedido, mas parte dos torcedores do Peixe não gostou e ameaçou agredir a criança e o seu pai, M. N.

Em entrevista ao UOL Esporte, o pai explicou que até tentaram devolver o uniforme, mas que no mesmo minuto começou uma gritaria e o empurra-empurra. O garoto ficou assustado com a movimentação agressiva. A Polícia Militar foi acionada e escoltou o menino e o pai para fora do estádio.

"Na Vila foi muito rápido. Tinha gente gritando 'pega o moleque, pega a camisa' e eu comecei a gritar: 'pega o pai do moleque!'. O pessoal do andar de cima queria descer. Comecei a tirar relógio, boné, coloquei tudo na mochila. O B. ficou com medo, pediu para devolver a camisa. Mas não tinha mais o que fazer. Os caras vindo para cima... Nisso, chegou a Polícia Militar e ficamos ao lado deles, nos levaram para fora. Mas e o medo de ir embora?", recordou M. N.

jailson - Instagram / Reprodução - Instagram / Reprodução
Jaílson entrega camisa para B.N., garoto foi ameaçado por parte da torcida do Santos na Vila Belmiro
Imagem: Instagram / Reprodução

"Minha revolta é de que em nenhum momento ele gritou 'vai Palmeiras' ou coisa do tipo. Ele é santista, mas admira o Jailson. O B. estava nervoso porque o Santos perdeu. Mas foi muito rápido, em menos de um minuto o B. cumprimentou, pegou a camisa e estourou. Foi totalmente fora do comum. Não deu tempo de pensar, a não ser em proteger ele. Eu paguei de doido para os caras não virem para cima. O B. está aqui em casa, já chorou. Eu expliquei para ele que o mundo é louco, que infelizmente o que ele fez é errado. Tem gente que é maluca, não consegue entender a intenção dele", acrescentou.

Após o episódio, a criança utilizou o Instagram para se posicionar. O garoto se desculpou, explicou que não pegou a camisa para ofender alguém e que reforçou ser torcedor do Santos.

"Oi, gente. Tudo bem? Me desculpa se alguém se ofendeu, que eu peguei a camisa do Jailson. Eu gosto muito dele. E gosto do Weverton [titular do Palmeiras] porque ele é da seleção brasileira. Eu não sou palmeirense, é que eu gosto muito do Jailson. Eu não sou palmeirense, sou santista. Eu fui em todos os jogos de 2019, agora estou tentando perder esse tempo que não fui na Vila. Eu não sou palmeirense, sou santista. Eu sou santista. Sempre apoiei o Santos nos momentos mais difíceis. Sempre estive junto com o Santos. Não quis pegar a camisa do Jailson pra ofender ninguém", disse o menino de 9 anos.

O pai confessou que não sabia da proporção que a situação havia tomado. Que somente hoje (9) foi se dar conta de que tinham torcedores xingando B. N. em seu Instagram.

"O menino tendo que fazer uma retratação porque estão xingando ele... Isso aconteceu e minha esposa nem sabia. Iríamos amanhã [quarta] no jogo, mas peguei o telefone dele e tinha muita gente xingando. E eu bloqueei todos. Mas não sabia que tinha tomado essa proporção. Um menino de 9 anos tendo que se retratar porque tem gente xingando ele? Absurdo", concluiu.

A diretoria do Santos se posicionou sobre a situação e convidou pai e filho para assistirem ao jogo contra o Red Bull Bragantino, quarta-feira (10), às 19h, no camarote da Vila Belmiro. O clube ainda ressaltou que não compactua com qualquer tipo de violência.