PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Alicia Klein: Muda muito para o jogo do Flamengo a volta do Bruno Henrique

Do UOL, em São Paulo

27/10/2021 12h35

Classificação e Jogos

O Flamengo enfrenta hoje, às 21h30, o Athletico-PR, no Maracanã, na disputa por uma vaga na final da Copa do Brasil e tem como principal novidade o retorno da dupla Bruno Henrique e Gabigol, jogadores decisivos no clube desde 2019, mas que foram desfalques nos últimos jogos, quando o time fez três partidas, ficando nos empates com Cuiabá e o próprio Athlético-PR, além da derrota para o Fluminense.

No UOL News Esporte, Alicia Klein afirma que o retorno de Bruno Henrique faz muita diferença para o Flamengo, colocando o time em um patamar acima do que nos jogos em que não pode contar com o atacante.

"O que eu acho que muda muito a carta desse jogo é justamente a volta do Bruno Henrique, eu até escrevi uma coluna semana passada, o Flamengo sem o Arrascaeta e sem o Bruno Henrique, é um time não comum, mas é um time vencível, tira aquela aura de invencibilidade do Flamengo quando está só o Gabigol, que tem sido um grande garçom, mas vem aí em uma seca de gols, não tem marcado tanto, então eu acho que é outro Flamengo", diz Alicia.

A jornalista considera que o princípio de crise interna nos últimos dias se dá muito por conta do que ocorreu dentro de campo e lembra que o time de Renato Gaúcho vem jogando desfalcado de atletas que são essenciais, mas considera que neste jogo com o Athletico-PR o bicampeão brasileiro tem um ligeiro favoritismo.

"Essa crise que começa a querer se instaurar no Flamengo, ontem com a história da coletiva que não houve, o departamento médico do Flamengo, crise política e tal, ela vem de três jogos aí sem vitórias com um time desfalcado dos seus principais jogadores ou parte dos principais jogadores, então eu acho que a coisa muda muito de figura", diz Alicia.

"Obviamente, o Flamengo joga em casa, com torcida, então isso também tem uma influência, jogar na Arena da Baixada é muito difícil, todo mundo que joga lá sabe disso, é difícil pelo gramado, é difícil pela torcida, a torcida infernizou a vida dos jogadores do Flamengo no jogo lá, então agora a coisa se inverte e eu acho que é um Flamengo que vem muito mais forte, acho que desse confronto pode sair absolutamente qualquer coisa, acho que o Flamengo é ligeiramente favorito porque joga em casa e tem a volta de jogadores que fazem muita diferença", conclui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol