PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Sylvinho completa 30 jogos no Corinthians com mesmo aproveitamento de Loss

Colaboração para o UOL, em São Paulo

25/10/2021 04h00

Classificação e Jogos

Depois de uma semana tumultuada, Sylvinho chegou pressionado para enfrentar o Internacional no Beira-Rio. O Corinthians conseguiu fazer um bom segundo tempo, mas o gol de empate nos acréscimos e o empate por 2 a 2 não aliviaram muito a situação do treinador, que completou 30 jogos no comando do time.

Contratado em maio após a demissão de Vagner Mancini, o treinador tem mais empates do que vitórias pelo Timão. São 12 igualdades, dez triunfos e oito derrotas no período, o que resulta em aproveitamento de 46,67%. Exatamente o mesmo que Osmar Loss tinha quando foi demitido do clube, em setembro de 2018.

A diferença é que Loss teve poucos empates. O treinador comandou a equipe em 25 partidas e empatou apenas cinco vezes, perdendo dez e ganhando em outras dez oportunidades.

Desde então, cinco treinadores passaram pelo Parque São Jorge antes de Sylvinho. Mancini (54,07%) e Carille (50,72%) tiveram aproveitamentos melhores que o do atual técnico. Por outro lado, Tiago Nunes (45,67%) e Jair Ventura (31,57%) ficaram abaixo.

Apesar de os números não serem tão positivos, o Alvinegro segue na sétima colocação do Campeonato Brasileiro, com 41 pontos após 28 rodadas. Por isso, Sylvinho afirma que a equipe irá disputar até o fim a classificação para a fase de grupos da Libertadores.

"Faz um tempo grande que o Corinthians não estava em briga por vaga direta na Libertadores faltando dez rodadas. Estamos construindo um time, com a chegada de quatro importantes reforços. Vamos brigar pelas vagas diretas à Libertadores até o final", destacou, em entrevista coletiva concedida após o empate com o Inter.

Além de citar o bom momento, Sylvinho também disse confiar no trabalho que vem realizado nesses cinco meses. O comandante fez questão de dizer mais de uma vez que passa grande partida do dia no clube e tem bom relacionamento com todo seu plantel.

"Tenho que falar com todos os atletas para mostrar que sei o que estou fazendo, e se precisar ficar 14 horas no clube para isso eu faço. Gastou meu suor e parte de sangue. Fico ausente de meus filhos e minha mulher pois sei que preciso estar com eles. (...) O time sua e é organizado. Defendo os atletas, o suor e o sangue que estão dando", comentou.

Agora, o treinador terá tempo para trabalhar com seu plantel, já que o próximo compromisso acontece apenas daqui uma semana. Em casa, pela 29ª rodada, na próxima segunda (1º), às 21h30, o Timão irá enfrentar a lanterna Chapecoense, que venceu apenas uma vez no Brasileirão até o momento.

Corinthians