PUBLICIDADE
Topo

Santos

Carille tem aproveitamento de rebaixado e repete Cuca de 2008 no Santos

Do UOL, em São Paulo

25/10/2021 04h00

Classificação e Jogos

Fábio Carille foi anunciado como técnico do Santos há 47 dias. Chegou com a missão de evitar o inédito rebaixamento do Peixe no Campeonato Brasileiro, mas os números apresentados até agora apontam que a situação está difícil. Em nove jogos no comando, sendo um deles pela Copa do Brasil, o treinador ganhou 25,5% dos pontos disputados.

O aproveitamento só é superior ao de um time do Brasileirão: a Chapecoense.

Com apenas uma vitória, Carille ainda tem em seu retrospecto quatro empates e quatro derrotas. A última delas no sábado (23), para o América-MG, em uma Vila Belmiro com cerca de 7 mil torcedores. O Peixe marcou apenas três gols e sofreu dez sob sua gestão.

O desempenho de Carille é parecido com o de Cuca nos primeiros nove jogos de sua passagem pelo Santos em 2008. Na época, ele assumiu o time de Vila Belmiro em um momento de reconstrução, convivendo com as proximidades da zona de rebaixamento, e só somou sete pontos no mesmo período. Melhorou o desempenho na sequência, mas não teve força e nem apoio para se manter no cargo, sendo demitido cinco partidas depois.

É difícil encontrar um técnico que teve no Santos aproveitamento pior que o de Carille neste início de passagem no clube. O próprio Cuca, em 2008, foi demitido com 31% dos pontos conquistados. Neste século, o pior de todos (entre os trabalhos encerrados) foi Nelsinho Baptista, que em 2005 acumulou três vitórias, três empates e sete derrotas, com aproveitamento de 30,7%.

Na temporada atual, Carille é o terceiro técnico a comandar o Santos. Seus antecessores não conseguiram alcançar nem sequer metade dos pontos que disputaram. O argentino Ariel Holán, que foi o comandante no início da temporada, pediu demissão com 41,6%. Na sequência, veio Fernando Diniz, que deixou a Vila Belmiro ao fim do primeiro turno do Brasileirão com 45,6% de aproveitamento.

Considerando apenas os jogos do Brasileirão, a situação de Carille dá uma ligeira melhorada, com os mesmos sete pontos em 24 disputados, aproveitamento de 29,1%. Para se ter uma ideia, esses números são muito próximos do que fez a lanterna Chapecoense nas últimas oito partidas. O time catarinense somou seis pontos, o que representa 25% de aproveitamento.

"Os números são muito ruins, é algo que incomoda. Temos que achar soluções o quanto antes", sintetizou Carille, depois da derrota para o América-MG.

"O campeonato vai ser decidido nas últimas rodadas, e o Santos só depende dele. Precisamos achar soluções melhores para os jogadores se sentirem confortáveis e para que os resultados positivos apareçam", declarou, em tom otimista.

Embora o discurso seja de esperança, Carille precisa de agilidade para afastar o Santos das últimas colocações. Nenhum dos outros 19 times tem um aproveitamento de pontos tão ruim quanto o dele. O Grêmio, penúltimo colocado, ganhou 34,7% dos pontos disputados, enquanto o Sport, que está logo à frente, tem 33,3% de aproveitamento.

Sem tempo para Carille trabalhar, o Santos tem apenas dois dias para se preparar para seu próximo compromisso, que acontece na quarta-feira (27), às 20h30, na Vila Belmiro, contra o Fluminense. A preocupação é grande porque o Tricolor vive boa fase e tenta se aproximar da zona de classificação para a Libertadores.

No curto prazo, a solução, segundo Carille, é ajustar a parte psicológica de seu elenco. "É um grupo que considero qualificado. O problema é no momento mais o mental do que outra coisa. Tem que ter sabedoria sobre isso. O time começa a errar passes, vem o incômodo, vem uma sequência de erros. É muito psicológico. Temos que trabalhar esse lado do atleta."

Sobre o confronto em si, Carille deseja tratá-lo como mais uma final para o Santos. "Quarta-feira será mais uma decisão. São 11 jogos para o fim do campeonato, e temos que tratar todo jogo assim, não tem outro caminho. Tem que estar mais ligado. Meu trabalho tem que ser melhor, o dos jogadores tem que ser melhor para encarar mais uma decisão na quarta-feira."

O Santos entrará em campo na zona de rebaixamento. Com 29 pontos, o Peixe ainda poderá cair mais duas posições nesta segunda-feira (25). Para isso, o Grêmio teria de ganhar do Atlético-GO, em Goiânia, e o Sport precisaria vencer o Palmeiras no Allianz Parque.

Santos