PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Jogador do Bayern adia sua vacinação contra a covid-19: 'Não tenho certeza'

Joshua Kimmich, volante do Bayern de Munique - Alexander Hassenstein/Getty Images
Joshua Kimmich, volante do Bayern de Munique Imagem: Alexander Hassenstein/Getty Images

Colaboração para o UOL, em São Paulo

24/10/2021 09h54

Joshua Kimmich, jogador do Bayern de Munique, está sendo o centro de uma polêmica na Alemanha em relação à vacina contra a covid-19. O jogador defende sua decisão de não se vacinar contra o novo coronavírus devido à falta de estudos de longo prazo.

"Ainda tenho minhas reservas até que haja estudos de longo prazo. Acho que deve ser respeitado, mas não significa que eu seja um negacionista ou um adversário da vacinação. Não digo categoricamente que não serei vacinado. Estou ciente das minhas responsabilidades e sigo as regras", garantiu o jogador do Bayern em uma entrevista para o jornal britânico Sky Sports.

No entanto, Kimmich criou uma campanha de arrecadação de fundos contra a covid-19 no começo da pandemia, em março de 2020. Ele lançou a iniciativa "WeKickCorona" ("nós chutamos o coronavírus", em tradução literal) junto com Leon Goretzka com uma arrecadação de fundos que começou com um milhão de euros cada (R$ 6,6 milhões, na cotação de hoje).

Com isso, após tornar pública a sua decisão de não se vacinar, pelo menos por enquanto, ele foi acusado de não aplicar o que teoriza e respondeu: "Isso não significa que eu não pratique o que prego. Doamos dinheiro à Unicef para habilitar vacinas em países que não têm acesso. Se as pessoas decidirem se vacinar, devemos facilitar para elas", completou.

Segundo a Our World In Data, no dia 22 de outubro, a Alemanha tinha 66,1% das população vacinada contra a covid-19, o que significa 55 milhões de pessoas com a imunização completa.

Futebol