PUBLICIDADE
Topo

Vasco

Diniz lamenta gols sofridos na bola aérea e sente empate com "gosto amargo"

Fernando Diniz, em apresentação no Vasco - Rafael Ribeiro / Vasco
Fernando Diniz, em apresentação no Vasco Imagem: Rafael Ribeiro / Vasco

Colaboração para o UOL, de São Paulo

24/10/2021 19h41

Classificação e Jogos

Fernando Diniz definiu como um "sabor amargo" o empate em 2 a 2 diante do Náutico nos Aflitos, em Recife. O Vasco havia saído na frente com gols de Nenê e Cano, mas sofreu o empate em duas jogadas de bola aérea. O empate não era bom para a ambição de ambos os times na Série B, mas, na visão de Diniz, a forma como sofreu os gols também pesa na frustração com o resultado.

"A gente saiu vencendo por 2 a 0 e tomamos gols na jogada que mais tínhamos treinado para evitar, que era a jogada aérea, tanto parada quanto em movimento. Obviamente que a equipe não fez das melhores atuações, já não foi dos primeiros tempos dos melhores. No segundo, estivemos abaixo. Em termos de performance, não estivemos bem", disse Diniz. Segundo ele, o sentimento que fica é de "ter perdido dois pontos".

"A gente tinha que ter saído com a vitória. Se perguntar especificamente hoje, eu diria que a gente deixou de levar dois pontos para o Rio de Janeiro".

O treinador também foi questionado sobre não ter feito as cinco substituições disponíveis para a partida. Ele havia feito apenas duas trocas e, mesmo admitindo que a atuação foi ruim, afirmou que não "faltou fôlego" ao time.

"Mudo o time conforme acho que o time vai melhorar. Não vou fazer cinco substituições porque tenho cinco para fazer. Fiz as mexidas pensando na melhora do time. Fiz as substituições que achei adequadas"

Pensando na próxima partida, em que receberá o CSA, Diniz comentou sobre a suspensão de Nenê, que recebeu o terceiro cartão amarelo. O meia veterano vem sendo um dos destaques do time nos últimos jogos e marcou o primeiro gol do time carioca na partida de hoje.

"Ele [o árbitro] simplesmente castigou quem estava tentando jogar o jogo todo. Uma hora o Nenê ia reclamar mesmo. O jogo estava pegado, o Paulo estava deixando o jogo correr, e o Nenê estava sofrendo inúmeras faltas. O árbitro não tem que castigar quem está querendo jogar. Acho que o cartão do Nenê foi desnecessário".

Vasco