PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Luis Suárez revela o que o magoou em saída do Barcelona: 'Senti muito'

Luis Suárez comemora gol do Atlético de Madri na vitória contra o Barcelona, pelo Campeonato Espanhol - REUTERS
Luis Suárez comemora gol do Atlético de Madri na vitória contra o Barcelona, pelo Campeonato Espanhol Imagem: REUTERS

Colaboração para o UOL, em São Paulo

23/10/2021 23h49

Classificação e Jogos

Em sua segunda temporada pelo Atlético de Madri, Luis Suárez revelou que a dispensa do Barcelona por telefone foi o que mais o magoou em sua conturbada saída do clube blaugrana.

Ao "Bola da Vez", programa da ESPN exibido hoje, o atacante não escondeu o incômodo com a condução de sua saída do Barça, e contou que, pouco antes de assinar com o Atlético, foi procurado por Koeman para seguir no clube catalão.

"Minha saída, senti muito pelo jeito que se deu. Se você tem um jogador que está há dez anos no clube, o terceiro maior goleador, o presidente poderia ter me avisado, ou o treinador, para nos reunirmos tal dia e explicar que situação seria de tal forma. Teria sido totalmente diferente, mas, em uma semana, a mídia já divulgava: 'Avisarão a Suárez da saída, a Suárez isso, a Suárez aqui'. Então, eu já sabia", iniciou Suárez.

"O treinador me liga e diz que eu não estava nos planos dele. Me magoou. Me doeu mais que nada. Aceitar o fim do ciclo no clube, tudo bem. Conforme a situação avançava, tentei rescindir o contrato, porque o clube não me queria, e já tinha uma idade em que não pagariam por mim. E era o clube que não queria que eu continuasse. Então, aceitei sem nenhum problema, mas, houve muitos entraves", seguiu El Pistolero.

O Barcelona e o Atlético jogavam no domingo. Na segunda à tarde, fui ao treino, e estava tudo acertado para rescisão e eu assinar com o Atlético. O técnico falou: 'Já falei com o presidente que se amanhã não decidirem, no domingo, contra o Villarreal eu conto contigo'. E eu: 'Como conta comigo se eu não estava nos planos?'. E ele respondeu: 'Não estava mas agora está'. Não entendi se eu não estava nos planos do treinador, ou se da direção. Não entraram em um acordo e nunca ficou claro o motivo, isso foi o que mais me magoou", encerrou o atacante, que acabou se transferindo para o Atlético.

Suárez ainda agradeceu ao time de Madrid por "abrir as portas", e admitiu que a comemoração na vitória sobre o Barça no início de outubro, pelo Campeonato Espanhol, foi uma provocação a Koeman.

"O destino saberá a razão, e assim foi a final da temporada: sendo destaque do Atlético, fazendo o gol da vitória que valeu La Liga. Isso não tem preço, agradeço ao Atlético por abrirem as portas. Sobre a ligação (na comemoração), já ficou bem claro, acabei de explicar", disse.

Em relação à atual situação financeira de seu antigo clube, o uruguaio acredita que a pandemia de covid-19 agravou a crise blaugrana.

"É óbvio que poderia ter sido evitada. Não é desculpa, mas veio a pandemia, o clube tinha salários muito altos dos jogadores e se não fossem diminuídos, seria muito difícil, porque não tinha venda de ingressos. Os clubes se mantinham também com as bilheterias, com venda de produtos, turismo, com tudo isso, e sem vender ingressos era difícil mantem a situação", opinou.

Futebol