PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Renato Gaúcho critica calendário e diz que Brasileirão está distante do Fla

Colaboração para o UOL. em São Paulo

23/10/2021 22h23

Classificação e Jogos

Na coletiva após a derrota por 3 a 1 para o Fluminense, o técnico Renato Gaúcho falou repetidamente sobre dois assuntos: a dificuldade que o calendário e como ele impede que um mesmo clube ganhe três competições ao mesmo tempo. Dessa forma, o treinador citou as ausências e a série de jogos como fatores para o revés do Flamengo neste sábado (23), no Maracanã, em jogo da 28ª rodada do Brasileirão.

"Estou bastante satisfeito. Pelos problemas que estamos tendo, falta de jogadores na seleção, no departamento médico e, mesmo assim, estamos em três competições: final da Libertadores, um jogo na quarta com chance de colocar o clube em outra final [da Copa do Brasil] e com chance de brigar pelo Brasileiro, que fica cada vez mais difícil. Mas, qual é o clube que disputa três e ganha três competições? Isso é muito difícil", disse.

"Lógico que o Flamengo precisa melhorar, mesmo quando ganha existe algo para se corrigir. Ninguém leva em conta os problemas que estamos tendo, a cada três dias o Flamengo entra com a obrigação de vencer. E os outros clubes que estão apenas no Brasileiro? É lógico que estou satisfeito pelo que o clube vem fazendo, mas poderíamos estar melhor no Brasileiro. Os jogadores são humanos e a cada três dias é uma guerra, uma final para o Flamengo. A maioria dos adversários espera a semana toda. Ninguém saber dos desfalques, faz parte do trabalho. Quem tudo quer, nada tem", emendou.

O comandante também apontou a série de jogos como empecilho para conseguir treinar. "Nem tempo para treinar direito tem. O entrosamento, quando tem que mudar quatro, cinco, seis, sete jogadores fica difícil. Não tenho queixa nenhuma do grupo. No momento em que mudarem o calendário, jogando apenas uma vez por semana, será possível. Mas é mais é fácil para as pessoas apontar os erros. Aqui no Brasil, infelizmente é assim: perdeu está tudo ruim. No dia a dia, estamos sempre buscando os melhores resultados para o clube", comentou.

Veja os outros pontos da coletiva

Ausência do Arrascaeta
São características diferentes. Quando o Arrascaeta não joga, precisamos improvisar um jogador. O Andreas não tem as mesmas características. O jogador vai ajudar, mas não é o mesmo talento. Ele é um jogador diferente e faz falta em qualquer time. O problema é que, se jogar uma vez por semana, tem tempo para treinar, mesmo com os desfalques. Mas mal tenho tempo de fazer um trabalho tático. Como vamos ter um entrosamento? Infelizmente não fomos felizes.

Momento ruim na Gávea?
Respeito a opinião de 95% das pessoas da imprensa. Agora, não adianta tentar tumultuar nosso ambiente, que é muito bom, e buscar crise onde não há. No Flamengo, se você empata dois jogos, parece que está tudo errado. Se for assim, a cada dois meses é preciso de um novo técnico, um novo elenco. Vejo os outros times muito mal, com muitos jogadores no departamento médico também, e ninguém fala, mas é Flamengo, né. Dá notícia, dá ibope. Se eu fosse torcedor, talvez, estivesse um pouco insatisfeito, mas ele precisa entender que não vamos ganhar todos as partidas. E o Brasileiro a gente vê o que acontece?

Está poupando o elenco?
Não poupei nenhum jogador, com exceção da partida contra o ABC na Copa do Brasil. Estamos pagando hoje pelo Bruno Henrique, que deveria ser poupado e estourou o adutor. O Pedro estava com dores muito fortes no joelho e levamos ele para jogar contra o Athletico, contudo, agravou a lesão. Nós estamos perdendo jogadores justamente para colocá-los em campo. O jornalista não tem as informações que temos e não precisamos dar as informações todo momento. Mas deixo bem claro isso. Estamos perdendo jogadores.

Sem reserva para Arracaesta?
Não posso agradar todo mundo. Já coloquei o Vitinho, o Lázaro ali e o Andreas, maioria das vezes. Ele foi muito bem contra o Juventude e se eu tiro ele dali todo mundo iria me questionar. Qualquer jogador que eu colocar ali vão querer que ele faça exatamente o que o Arrascaeta faz. E são características diferentes.

Andreas Pereira fora de posição
São características diferentes. Quando o Arrascaeta não joga, a gente precisa improvisar. O Andreas é volante e tem nos ajudado, mas não tem as mesmas características. O Arrascaeta faz falta em qualquer time.

Convocação para torcida
O torcedor é paixão, ele quer ganhar. O torcedor tem que acreditar no que a gente fala. Temos vários problemas e temos que colocar os jogadores em campo. O que ele quer, nós também queremos. Mas, às vezes, algum jogador vai atuar abaixo e isso dificulta o trabalho de todo mundo. Principalmente no clássico. O torcedor tem que vir na quarta-feira para nos apoiar, como sempre fez. Se quiser vaiar, deixa para depois do jogo. Precisamos do torcedor. Eu entendo quem está bravo, porque perdemos um clássico.

Flamengo