PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Santos se equilibra com sequência de lesões para brigar contra rebaixamento

Carille segue com problemas de lesão para escalar o Santos - Ivan Storti
Carille segue com problemas de lesão para escalar o Santos Imagem: Ivan Storti

Do UOL, em São Paulo

21/10/2021 04h00

Classificação e Jogos

O Santos tem um dos piores ataques do Campeonato Brasileiro e uma defesa que não dá segurança. Mas um outro vilão, alheio ao desempenho em campo, tem atrapalhado o Peixe na competição. A sequência de lesões de seus jogadores tem impedido o time de atuar com força máxima na luta contra um inédito rebaixamento.

No momento, o Santos tem seis jogadores entregues ao departamento médico que são desfalques confirmados para enfrentar o América-MG, no sábado (23), na Vila Belmiro, pela 27ª rodada do Brasileirão. São eles os zagueiros Luiz Felipe e Kaiky, o volante Jobson, o atacante Léo Baptistão, o goleiro John e o meia Gabriel Pirani. Este último tinha chance de atuar, mas acabou vetado. A eles se junta Sandry, que está em recuperação de uma cirurgia no joelho.

Perder jogadores para o departamento médico tem sido uma rotina na temporada do Santos. E o longo tempo de recuperação vem atrapalhando os treinadores. A dupla de zaga que era titular nos tempos de Fernando Diniz atuou junta pela última vez em 8 de agosto, no empate sem gols com o Corinthians. Kaiky sofreu uma lesão muscular na coxa e ainda não retornou. Luiz Felipe ainda jogou até o fim do mês, mas agora já está perto de completar 60 dias de afastamento.

Nesse período, o Santos passou a usar o recém-contratado Emiliano Velázquez como "xerife". Porém, o técnico Fábio Carille se viu obrigado a montar um sistema com três zagueiros para suprir a falta de jogadores. Wagner Palha e o volante Vinícius Balieiro foram os escolhidos para atuar na defesa. Para não perder poder de fogo, dois atacantes têm sido utilizados como alas: Marcos Guilherme e Lucas Braga.

Além dos problemas na zaga, o departamento médico já desfalcou outros setores do Santos. Na lateral direita, Madson atuou como titular pela última vez em 28 de agosto, quando o Peixe foi goleado por 4 a 0 pelo Flamengo. Ele já voltou a ser relacionado e entrou em campo nas últimas três rodadas. Antes de se machucar, ele era um dos jogadores-chave no time de Fernando Diniz, tornando-se vital também ao marcar gols importantes.

A principal estrela do time também já passou grande tempo afastado por causa de uma lesão muscular. Marinho se machucou durante a derrota para o Atlético-GO na Vila Belmiro e ficou fora da equipe por seis jogos do Brasileirão. Nesse período, o Peixe somou seis pontos e viu Fernando Diniz ser demitido após a derrota para o Cuiabá na Arena Pantanal. A recuperação do "Rei da América de 2020" provocou até um atrito no clube, já que haveria acontecido um erro durante o tratamento, o que provocou atraso no retorno dele aos gramados.

Em meio a esse cenário, o ex-diretor do clube Renato Florêncio, que foi um dos principais jogadores do Alvinegro neste século, deu uma entrevista ao portal "Diário do Peixe", em que faz críticas à estrutura do departamento médico santista. E exemplificou outro clubes, entre eles os rivais estaduais, para mostrar que o Peixe precisa evoluir nesse quesito.

"Em relação à parte do Departamento Médico, ficou muito para trás. Eu vi outros clubes, passei pelo Botafogo, que conseguiu modernizar a estrutura do DM, coisa que o Santos ainda não fez, está atrás. A gente vê o Palmeiras, com aporte financeiro, o Corinthians, teve influência do Ronaldo, mas se criou. E tem o São Paulo, que já era uma referência no cenário brasileiro, principalmente no DM. A gente não pode ficar para trás", comentou Renato ao Diário do Peixe.

Pirani e Jobson são no momento os jogadores que estão mais próximos de retornarem aos gramados. Luiz Felipe e Kaiky ainda não têm data para voltar a jogar, assim como John, que passou por uma artroscopia no joelho. Para completar, Léo Baptistão, que sofreu uma lesão muscular diante do Atlético-MG, tem prazo de três semanas para voltar ao time.

Enquanto o Departamento Médico não se esvazia, Carille deve manter o sistema de jogo para o confronto direto com o América-MG. Com o desfalque de Wagner Palha, suspenso, Balieiro deve voltar à zaga ao lado de Velázquez e Danilo Boza. Se optar pela mudança de esquema tático, Madson e Felipe Jonatan devem entrar no time para ocupar as laterais, e Lucas Braga seria "devolvido" ao ataque. Com 29 pontos, o Santos ocupa o 15º lugar e precisa ganhar para não correr risco de entrar na zona de rebaixamento.

Futebol